Peru reage à eleição de Sagasti como presidente

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

17 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A eleição, na segunda-feira, do legislador centrista Francisco Sagasti como novo presidente para tentar acabar com a crise de poder no Peru, foi recebida em meio a euforia, aprovação e demandas por justiça, além de sinais de luto pelos dois mortos em os violentos protestos no fim de semana.

Sagasti, um engenheiro industrial de 76 anos e ex-funcionário do Banco Mundial, venceu por 97 votos a favor, 26 contra e 0 abstenções, para suceder a Manuel Merino, que renunciou no domingo devido a protestos nos quais dois jovens morreram.

A partir de sua conta no Twitter, Vizcarra saudou a nomeação de Sagasti, embora tenha reclamado de sua demissão ao Tribunal Constitucional.

“Parabenizo Sagasti por sua eleição como Presidente do Congresso. Saúdo que a responsabilidade prevaleceu sobre os interesses privados. Somente uma pessoa com princípios democráticos poderá suportar a difícil situação do país”.

Enquanto isso, o Escritório de direitos humanos da ONU anunciou que enviará uma missão para investigar o que aconteceu nas recentes manifestações no Peru. A entidade, chefiada pela alta comissária Michelle Bachelet, "está preocupada com relatos de uso desnecessário e excessivo da força pelo pessoal de segurança, bem como detenções sem o devido processo", citou o jornal local El Comercio.

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, saudou a nomeação de Sagasti no Twitter e disse estar confiante em sua capacidade de liderar o país e realizar as próximas eleições.

O ex-presidente Ollanta Humala também saudou a eleição do centrista Sagasti em sua conta no Twitter. “Estamos diante de um novo momento. Seguindo o espírito de emenda do atual Congresso, saudamos a eleição de Francisco Sagasti como Presidente Interino da República”, escreveu ele.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com