Partido do presidente boliviano perde dois redutos em eleições locais

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

30 de março de 2015

Bolívia

O partido do presidente socialista boliviano, Evo Morales, perdeu dois redutos políticos na região de La Paz, nas eleições regionais e autárquicas que ocorreram nesse domingo (29). O Supremo Tribunal Eleitoral informou que o resultado oficial da apuração vai demorar alguns dias.

O Movimento para o Socialismo (MAS, sigla em espanhol) perdeu a cidade de El Alto, na periferia da capital, e a região de La Paz, que passam a ser governadas pela oposição. A nova presidenta da Câmara de El Alto, cidade com mais de 1 milhão de habitantes, é Soledad Chapeton, uma educadora, do partido do principal líder da oposição boliviana, o milionário Samuel Doria Medina (centro-direita).

Chapeton, de 34 anos e origem aimara, obteve 55% dos votos frente ao candidato do MAS, Edgar Patana (28%), que tentava ser reeleito, de acordo com a pesquisa Ipsos, feita após o fim da votação para a cadeia de televisão ATB. O MAS sofreu também derrota na província de La Paz, onde o antigo ministro da Educação Félix Patzi, um dissidente do MAS, conquistou 52% dos votos contra 29% da candidata do partido no poder, Felipa Huanca (alvo de inquérito por corrupção).

O opositor Luis Revilla foi reeleito como presidente da câmara de La Paz, com quase 60% dos votos. Em outubro passado, Evo Morales foi reeleito presidente pela terceira vez, no primeiro turno das eleições, com 61% dos votos, tendo garantido também o controle do Congresso, com dois terços dos lugares para o seu partido. Cerca de 6 milhões de eleitores foram chamados a escolher nove governadores de províncias e mais de 4 mil prefeitos.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati