Oposição vai continuar a lutar contra lei do registo eleitoral em Angola

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Angola.

Agência VOA

Partidos avisam que para manter a estabilidade os diferendos em matéria eleitoral devem ser resolvidos por consenso.

9 de fevereiro de 2015

Os partidos da oposição angolana tencionam continuar a luta contra a lei do registo eleitoral, aprovada na generalidade pelo parlamento apenas com os votos do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA).

A lei atribui ao Ministério da Administração Interna o direito de cadastramento dos cidadãos.

Numa declaração conjunta, União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE), Partido de Renovação Social (PRS) e Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) consideram o documento aprovado de inconstitucional e por isso vão protestar veementemente quando o documento subir para discussão na especialidade.

"Ante estas flagrantes e condenáveis violações da lei por parte do Executivo e do MPLA, os grupos parlamentares da Unita, Casa-CE, PRS e FNLA manifestam a sua repulsa a estes posicionamentos e alertam ao povo angolano a manter-se firme contra estas práticas que põem em causa a edificação de Estado democrático e de Direito em Angola", disse Raúl Danda, da Unita, falando em nome de toda a oposição parlamentar.

"As forcas políticas na oposição parlamentar são a propor que os diferendos em matéria eleitoral sejam tratados na base de consensos em nome da estabilidade", acrescentou.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati