O furacão Dennis deixou um rastro de destruição por onde passou

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O furacão Dennis, dia 9 de junho, às 16:45 UTC. Fonte: NOAA.
Rota prevista para o furacão Dennis. Fonte: CIMSS.

11 de julho de 2005

O furacão "Dennis" continuou a ganhar força ao adentrar-se no Golfo de México, após deixar atrás de de si um rastro de destruição e morte, depois de passar pela Jamaica, pelo Haiti e por Cuba.

Ao todo foram contabilizadas 20 vítimas até agora. Ainda que o furacão tenha perdido intensidade em sua passagem por Cuba e descido a um na escala Saffir-Simpson (que vai até cinco), ele voltou a ganhar força ao aproximar-se do Golfo de México e se estima que chegue à costa como um ciclone de categoria três ou quatro.

Em Cuba, a província de Granma e as centrais de Sancti Spíritus e Cienfuegos foram as mais afetadas pela passagem do furacão. O vendaval fez com que fossem evacuados a um milhão e meio de cubanos e ocasionou muitos danos materiais. No Haiti, a situação é desesperada.

O Presidente Hugo Chávez da Venezuela disse: "estamos seguros e acreditamos que o povo de Cuba e a nação cubana sairão como sempre saíram destes golpes, ainda mais fortalecidos", e ofereceu ajuda aos países afetados.

Agora, o furacão "Dennis" ameaça os estados do sudeste dos Estados Unidos da América. Mais de um 1,2 milhões de pessoas foram evacuadas sábado (8) nos estados da Flórida e Alabama.

Fontes