OTAN ajudará na segurança durante funeral do papa

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de abril de 2005

Estima-se que milhões de pessoas compareçam aos funerais do papa João Paulo II, no Vaticano. Além de populares, vários líderes mundiais como o presidente dos Estados Unidos da América George W. Bush, o chanceler da Alemanha Gerhard Schroeder, o rei da Espanha Juan Carlos, o príncipe Charles e Tony Blair da Grã-Bretanha, o presidente Jacques Chirac da França, o secretário-geral da ONU Kofi Annan, entre muitos outros, inclusive vários representantes de países sulamericanos, como o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, e autoridades italianas, confirmaram presença nas cerimônias fúnebres.

A polícia italiana disse que irá mobilizar mais de 6500 homens. Autoridades disseram que o espaço aéreo sob Roma ficará totalmente fechado no dia do enterro e que haverá helicópteros, aviões de caça da e um avião Awacs da OTAN para ajudar a proteger o local.

As autoridades dizem que a segurança nos aeroportos será reforçada e que serão mobilizados entre 10 mil e 15 mil policiais e militares para ajudar nessa tarefa.

Fontes