ONU acusa Bielorrússia de violações de direitos humanos

Fonte: Wikinotícias

17 de março de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Especialistas em direitos humanos da ONU acusaram a Bielorrússia de violações sistemáticas, incluindo repressão a manifestantes e dissidentes. É o que afirma um relatório publicado na sexta-feira.

O documento, divulgado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, abrange a preparação para a disputada eleição presidencial de 9 de agosto de 2020 e a repressão a manifestantes e críticos nos meses seguintes.

Alexander Lukashenko negou as acusações de irregularidades e acusou países estrangeiros de apoiar os protestos.

“Há motivos suficientes para acreditar que violações sistemáticas, em grande escala e grosseiras dos direitos humanos foram e estão sendo cometidas na Bielorrússia”, diz o relatório da ONU. “Algumas violações também podem constituir crimes contra a humanidade.”

Na sexta-feira, executivos do maior site de notícias independente do país, que foi forçado a fechar após protestos em 2020, foram condenados a longas penas de prisão na Bielorrússia. Um tribunal de Minsk condenou a editora-chefe do portal Tut.by a 12 anos de prisão.

As mulheres enfrentaram uma variedade de acusações, incluindo evasão fiscal, que os críticos dizem ser regularmente usada como desculpa para reprimir a dissidência.

Os escritórios do Tut.by foram revistados anteriormente. O grupo de mídia foi declarado uma "organização extremista" em meados de 2022 e fechado.

A organização de direitos humanos Repórteres Sem Fronteiras classificou as acusações contra as mulheres como "absurdas" e apontou para o fato de que os julgamentos ocorreram a portas fechadas.

Parte da redação, temendo represálias, fugiu do país.

Fontes