Navio de cruzeiro Costa Concordia naufraga na costa da Itália

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

A Costa Concordia após a batida, encontra-se no lado estibordo, na manhã de 14 de janeiro.


14 de janeiro de 2012

Itália — Um navio de cruzeiro que levava mais de 4 mil pessoas naufragou na noite de ontem (13) na costa da Itália. Inicialmente, as autoridades locais divulgaram que pelo menos seis pessoas haviam morrido, mas, até a manhã de hoje (14), somente três corpos haviam sido resgatados. A guarda costeira italiana informou mais tarde as nacionalidades das três pessoas mortas na tragédia: dois passageiros franceses e um tripulante peruano.

O navio Costa Concordia bateu num banco de areia próximo à ilha de Giglio e já havia inclinado cerca de 20 graus quando as pessoas começaram a deixar a embarcação em botes salva-vidas ou nadando.

O Costa Concordia havia deixado o porto de Civitavecchia, perto de Roma, ontem para um cruzeiro pelo Mediterrâneo, que deveria terminar em Marselha, na França, após passar por portos da Sicília, da Sardenha e da Espanha.

Um comissário do navio, Deodato Ordona, disse que, após o acidente, os passageiros receberam a ordem de deixar a embarcação. Segundo ele, houve dificuldades para lançar os botes salva-vidas ao mar e muitos passageiros pularam e nadaram os cerca de 400 metros de distância até a terra firme.

A Costa Crocera, empresa proprietária do navio, informou que ainda é cedo para dizer o que causou o acidente. "A inclinação gradual do navio tornou a retirada dos passageiros extremamente difícil", disse um comunicado divulgado pela companhia. "A posição do navio, que está piorando, tornou mais difícil a última parte da retirada.".

Buscas[editar]

Equipes de resgate estão fazendo buscas de cabine em cabine na tentativa de encontrar possíveis sobreviventes. O navio levava cerca de 3.200 passageiros, principalmente, italianos, alemães, franceses e britânicos, além de cerca de mil funcionários.

Equipes de resgate continuam as buscas pelas cerca de 50 pessoas que ainda estão desaparecidas. Helicópteros foram usados para retirar as pessoas que se refugiaram no deck do navio e se encontravam em situação delicada.

Uma grande operação de busca foi lançada nos arredores do naufrágio. Equipes de resgate, incluindo mergulhadores, fizeram buscas de cabine em cabine, procurando possíveis sobreviventes, enquanto navios da guarda costeira vasculham as águas ao redor do navio.

Os passageiros resgatados estão sendo acomodados em hotéis, escolas e em uma igreja em Giglio, que fica a 25 quilômetros da costa italiana.

Brasil[editar]

Inicialmente, o Ministério das Relações Exteriores confirmou que havia brasileiros a bordo do navio de cruzeiro que naufragou na costa da Itália. Segundo o Itamaraty, os consulados brasileiros em Milão e em Roma foram contactados por brasileiros que relataram que viajavam na embarcação. Ainda de acordo com o ministério, não há informações sobre o número de brasileiros que estavam no navio, já que a empresa não divulgou dados oficiais sobre os passageiros a bordo. O assunto está sendo acompanhado pelo consulado brasileiro em Roma.

O Ministério divulgou que havia 53 brasileiros a bordo (47 passageiros e seis tripulantes), após a informação ser disponibilizada pela empresa Costa Cruzeiros, responsável pela embarcação. Ainda segundo o Itamaraty, a empresa informou que todos os brasileiros que estavam na embarcação foram localizados e já estão recebendo atendimento. A Costa Cruzeiros divulgou dois números para atendimento e busca de informações no Brasil: 55 11 2123-3673 e 55 11 2123-3679.

Fontes[editar]

Ver também[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati