Molécula derivada de erva asiática é eficaz contra infecção do ebola em ratos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bandeira do Brasil
Outras notícias sobre os Estados Unidos
Localização dos Estados Unidos
Localização dos Estados Unidos

26 de fevereiro de 2015

Estados Unidos

Uma molécula derivada de uma erva asiática revelou-se eficaz contra a infecção de ratos com o vírus do ebola, abrindo portas para um possível tratamento em humanos, segundo uma investigação publicada hoje (26) na revista Science. Cientistas do Instituto de Pesquisa Biomédica do Texas descobriram que a tetrandrina, uma molécula de origem vegetal, em pequenas doses, protege ratos da infecção, sem efeitos secundários particulares.

"Quando testamos esta molécula em ratos, ela impediu a reprodução do vírus e permitiu salvar a maior parte deles do ebola", explicou um dos autores do estudo, Rovert Davey. O próximo passo dos pesquisadores será testar a inocuidade e a eficácia da molécula contra o ebola nos macacos. Os autores do estudo agora publicado já tinham determinado que o mecanismo que permite às células transmitirem cargas elétricas, no qual os detectores de cálcio desempenham um papel-chave, era importante na infecção do ebola.

Os pesquisadores descobriram que dois detectores de cálcio eram particularmente importantes para que o vírus penetrasse nas células para se multiplicar e testaram diversas moléculas, incluindo a tetrandrina, para determinar qual é que seria mais eficaz para neutralizar os detectores. De acordo com o mais recente balanço da Organização Mundial de Saúde, o novo surto de ebola fez 9.177 mortos, desde o início de 2014, a maior parte na Libéria, na Serra Leoa e na Guiné-Conacri.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati