Modi pede fim da violência em telefonema com Putin

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

26 de fevereiro de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, pediu o fim da violência na Ucrânia em uma conversa telefônica com o presidente russo, Vladimir Putin, segundo o governo indiano.

A ligação entre os dois líderes ocorreu depois que as forças russas lançaram a invasão da Ucrânia.

“O primeiro-ministro apelou ao fim imediato da violência e pediu esforços conjuntos de todos os lados para retornar ao caminho das negociações diplomáticas e do diálogo”, disse o governo indiano em comunicado na quinta-feira.

Ele disse que Modi reiterou ao líder russo "sua convicção de longa data de que as diferenças entre a Rússia e o grupo da OTAN só podem ser resolvidas por meio de um diálogo honesto e sincero".

Mais cedo nesta quinta-feira, Igor Polikha, enviado da Ucrânia para a Índia, instou Nova Délhi a intervir, dizendo que estava “pedindo e implorando” por seu apoio.

“A Índia deve assumir plenamente seu papel global sempre que um regime totalitário cometer agressão contra um Estado democrático”, disse ele a repórteres.

Até agora, a Índia não condenou a Rússia pela operação militar contra a Ucrânia, uma vez que caminha com cuidado na crise que se desenrola, o que representa um dilema diplomático para Nova Délhi.

Enquanto a Índia e os Estados Unidos construíram laços estratégicos estreitos, Nova Délhi também mantém uma relação de segurança com Moscou, que ainda fornece à Índia a maior parte de seu equipamento militar.

A situação é “complicada” e “em evolução” e “nenhum país viu isso acontecer”, disse o secretário de Relações Exteriores da Índia, Harsh Vardhan Shringla, em entrevista coletiva na quinta-feira.

Enquanto isso, a Índia está intensificando os esforços para evacuar seus cidadãos da Ucrânia. O Ministério das Relações Exteriores disse na quinta-feira que equipes de autoridades indianas foram enviadas às fronteiras da Ucrânia com a Hungria, Polônia, Eslováquia e Romênia para ajudar cerca de 16.000 cidadãos indianos que estão retidos.

A questão da segurança dos cidadãos indianos, especialmente dos estudantes, foi levantada por Modi durante seu telefonema para Putin.

“O primeiro-ministro transmitiu que Nova Délhi atribui a mais alta prioridade à sua saída segura e retorno à Índia”, segundo o comunicado da Índia.

Fontes