Militantes do ETA matam guarda civil espanhol no sul da França

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

2 de dezembro de 2007

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

No último final de semana(1/12), um policial civil espanhol foi assassinado e outro foi ferido gravemente logo depois de serem alvejados por tiros disparados por membros do grupo separatista basco ETA; o incidente ocorreu no sudoeste da França.

Ambos os guardas civis se encontravam em Capbreton, tomando parte em uma operação de vigilância conjunta com a polícia francesa contra o ETA, que tradicionalmente usa a França como base de ataque para outras localidades . Os guardas foram alvejados enquanto saíam do lugar de onde tomavam regularmente o café da manhã, logo que membros do grupo separatista descobriram suas nacionalidades espanhola.

Raúl Centeno morreu no local e Fernando Trapero ficou ferido com gravidade. Os três suspeitos do ETA escaparam da cena do crime num automóvel.

A Ministra do Interior da França, , disse que a operação conjunta seria levada a cabo contra os membros do ETA "que chegam ao território francês para procurar refúgio ou preparar operações".

É a primeira fatalidade atribuída ao ETA em quase um ano. O grupo separatista tinha assumido responsabilidade pela explosão de 30 de dezembro no Aeroporto de Madrid, que deixou dois homens mortos.

O incidente ocorre um dia depois de que mais de 50 bascos (jornalistas, escritores, ecologistas, professores, advogados e outros profissionais) fossem encarcerados pela polícia espanhola acusados de apoiar o ETA.

Fontes