Milhares de Sem Terra completam marcha até Brasília

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de maio de 2005

Brasil

Milhares de ativistas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) do Brasil completaram sua marcha de 238 quilômetros até Brasília que começou dia 1 de maio e preparam-se agora para ir embora. Eles exigiram do Presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva o cumprimento das promessas da reforma agrária e protestaram contra o governo dos Estados Unidos da América e o presidente norte-americano George W. Bush. Alguns integrantes do MST queimaram uma bandeira dos EUA em meio a um monte de lixo, em frente à Embaixada dos EUA, em Brasília.

A agência de notícias brasileira Agência Brasil reportou que cerca de 12 mil integrantes do MST protestaram em frente à embaixada norte-americana em Brasília. O grupo recolheu uma porção de lixo e queimou a bandeira dos EUA no meio dele. Segundo Rosana Fernandes, uma representante do MST, eles estavam a protestar contra a cultura, política e corporações norte-americanas.

Representantes do MST também se encontraram com o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com a Agência Brasil, eles apresentaram quatro reivindicações para o governo: a reestruturação do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), a execução do Plano Nacional para a Reforma Agrária, a criação de uma linha especial de créditro e mudanças na definição de terras improdutivas para a expropriação.

O MST disse que o movimento conseguiu entrar num acordo com Lula e que o presidente concordou em usar metade do orçamento da reforma agrária congelado em 2005, cerca de 700 milhões de reais (U$282 milhões). O Ministro da Reforma Agrária Miguel Rossetto negou que um acordo foi realizado, mas disse que o encontro foi positivo e que uma proposta seria oferecida ao MST nesta última quarta-feira.

Durante os protestos, alguns manifestantes do MST entraram em conflito com forças da polícia em Brasília. Segundo a polícia, 20 policiais foram seriamente feridos e precisaram ser hospitalizados. De acordo com a polícia, o incidente começou depois que alguns manifestantes do MST atacaram um carro da polícia próximo ao Palácio da Justiça. Um policial deixou o automível a fim de conversar com os manifestantes quando foi atacado por uma multidão e recebeu socos e pontapés. A cavalaria da polícia veio para ajudar e conseguiu dispersar a multidão. O MST reportou que 32 integrantes do movimento ficaram feridos; fontes independentes disseram que foram 20.

A marcha do MST até Brasília foi organizada pela Via Campesina, uma organização internacional que diz apoiar os trabalhadores rurais e a agricultura sustentável.

O líder do MST João Pedro Stedile disse que o MST vai retornar para casa com as baterias recarregadas e que deve agora intensificar as ocupações de terra no Brasil.

Fontes