Mianmar bloqueia o acesso da internet à Wikipédia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cordão policial em Mianmar.

21 de fevereiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O grupo de defesa da internet livre NetBlocks postou nas redes sociais que o site da enciclopédia on-line Wikipédia foi bloqueada pelas autoridades de Mianmar. De acordo com NetBlocks, na manhã da última quinta-feira (18 de fevereiro) hora local (dia 17 no horário de Brasília e Lisboa) o país asiático bloqueou na internet, o acesso à todas as seções linguísticas dos sites da Wikipédia, a Wikidata, a Fundação Wikimedia e projetos relacionados. Esta imagem também mostra que entre os quatro provedores de serviços de Internet em Mianmar, a Wikipedia ainda está inacessível. A seguinte mensagem apareceu no Twitter da organização internacional:

Confirmado: #Myanmar bloqueou todas as edições em idiomas da enciclopédia on-line Wikipédia, como parte do regime de censura pós-golpe à Internet cada vez mais ampla imposta pela junta militar 📚
Os dados da rede mostram as restrições em vigor nos principais provedores.

📰 Relatório: https://netblocks.org/reports/intern

pic.twitter.com/qstGEefO4E
(Confirmed: #Myanmar has blocked all language editions of the Wikipedia online encyclopedia, part of a widening post-coup internet censorship regime imposed by the military junta 📚

Network data show restriction in effect on major providers.

📰 Report: https://netblocks.org/reports/intern

pic.twitter.com/qstGEefO4E)

NetBlocks

Pelo Twitter, a NetBlocks disse que as autoridades estão implementando um «toque de recolher na internet» porque a internet no país é fechada à noite. Também alega que isso é «parte do sistema de censura da Internet em constante expansão após o golpe realizado pelo governo militar». Netblocks forneceu mais informações em uma imagem anexada ao Twitter indicando que eles testaram a conectividade da Wikipédia em inglês e francês, Wikidata e wikimedia.org e descobriram que todos eles estão inacessíveis.

Todas as versões linguísticas da @Wikipédia já estão bloqueadas em #Mianmar.
(All language editions of @Wikipedia have been blocked in #Myanmar.)

NetBlocks

Isso pode significar que as autoridades de Mianmar não apenas bloquearam «todas as versões da Wikipédia em todos os idiomas», mas também bloquearam todos os projetos da Wikimedia como um todo. As autoridades mianmarenses provavelmente usarão as mesmas táticas da China e de alguns outros países para bloquear os projetos da Wikimedia, ou seja, bloquear os principais endereços IP usados ​​pela Wikipédia e seus projetos irmãos. Todos os projetos da Wikimedia compartilham o mesmo endereço IP, o que o torna um alvo fácil para os censores implementarem bloqueios.

Isso também significa que Mianmar é um dos países que bloquearam a Wikipédia. Em Mianmar e em todo o mundo, o bloqueio da Internet está se tornando cada vez mais comum. Os países que bloquearam a Wikipédia recentemente incluem o Irã (que bloqueou o site por 24 horas em março de 2020) e a Venezuela (que bloqueou em janeiro de 2019). Em países como o Irã, o bloqueio da Internet também interfere no movimento da Wikimedia. Por exemplo, o bloqueio de uma semana do Irão(em Portugal) ou Irã(no Brasil) em novembro de 2019 adiou o evento de edição do Mês da Ásia na Wikipedia. A China bloqueia a Wikipédia desde 2015. Não está claro se esses países levantarão o bloqueio aos projetos da Wikimedia no futuro.

A Wikimedia Foundation ainda não comentou o bloqueio. O Grupo de Usuários da Comunidade Wikimedia em Mianmar (que representa o país) ainda não fez comentários. Sua página no Facebook foi atualizada pela última vez em 16 de janeiro, duas semanas antes do golpe militar.

Histórico[editar]

Em 1º de fevereiro, os militares suspenderam a internet em Mianmar antes de lançar o golpe. Após a suspensão da internet e lançar o golpe, os militares detiveram o presidente do país Vin Myin e a líder do partido da Liga Nacional pela Democracia, Conselheira de Estado e Ministra das Relações Exteriores, Aung San Suu Kyi. Os militares que realizaram o golpe nomearam o vice-presidente Myin Shwe como presidente interino e transferiram todo o poder do Estado para o comandante-chefe das forças armadas de Mianmar, general Min Aung Hline. O estado de emergência foi declarado por um ano. Durante o golpe militar, várias centenas de pessoas foram detidas, incluindo membros do partido governante Liga Nacional pela Democracia e membros do parlamento.

O golpe foi motivado pela oposição militar às eleições parlamentares de novembro, nas quais um partido apoiado pelos militares conquistou 26 e 7 cadeiras nas câmaras baixa e alta do parlamento, respectivamente. Em seguida, os militares prometeram agir e anunciaram fraude nas eleições. Após o golpe, começaram os protestos em grandes cidades do país, reprimidos pelos militares que tomaram o poder.

Kommersatn observou o governo russo, que fornece equipamento militar para Mianmar, retirou-se da resolução do Conselho de Direitos Humanos da ONU que condena o golpe.

Em 3 de fevereiro, o país bloqueou ou suspendeu temporariamente o Facebook, o Twitter, o Instagram e alguns dos servidores do WhatsApp. De acordo com relatos, o uso de VPNs aumentou drasticamente para os locais ávidos por acessar sites bloqueados.

Em 14 de fevereiro, a Bloomberg informou que o Ministério da Informação de Mianmar exigiu que a mídia nacional não chamasse o que aconteceu no país de «golpe» e não chamasse o governo interino de «junta» ou «regime».

A partir do dia 19 de fevereiro, na Wikipédia em birmanês houve um aumento significativo nas edições de endereços IP que podem ser usados ​​para VPNs, o que indica que os locais podem ter que usar VPNs para acessar a Wikipedia.

Fontes[editar]

Reportagem original
Esta notícia contém reportagem original de um Wikicolaborador.
Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit