Mais três navios cargueiros com grãos partem de portos ucranianos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

5 de agosto de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Um comboio de navios de carga - o Navi Star, Rojen e Polanrnet 57 - deixou um porto em Odesa Oblast e está transportando 58.000 toneladas de milho ucraniano para portos estrangeiros.

O JCC, formado por representantes da Ucrânia, Rússia, Turquia e das Nações Unidas, autorizou a saída de 3 navios. O Polarnet transportará 12.000 toneladas de milho para Karasu, no noroeste da Turquia, o Rojen, que está transportando mais de 13.000 toneladas de milho, para a Grã-Bretanha e o Navi Star transportando 33.000 toneladas de milho com destino à Irlanda.

O total de 58.000 toneladas métricas de grãos é uma pequena fração das mais de 20 milhões de toneladas métricas em silos ucranianos e em navios comerciais esperando para deixar o país. A ONU diz que há cerca de 28 navios esperando para partir dos portos ucranianos.

O JCC diz que, com base em sua experiência com o primeiro navio que partiu na segunda-feira, o Razoni, agora está testando a movimentação de vários navios no corredor seguro, tanto de saída quanto de entrada.

Os ucranianos mineraram sua parte do Mar Negro para proteger seu território dos ataques russos. A ONU disse que seus especialistas determinaram desde o início do planejamento para o movimento de grãos não tentar desminar a área, porque pode levar entre três e cinco meses, tempo demais para a alta global dos preços dos alimentos. Em vez disso, as faixas seguras foram determinadas e as embarcações comerciais devem aderir estritamente a elas.

O JCC diz que o corredor seguro foi revisado “para permitir uma passagem mais eficiente de navios, mantendo a segurança”.

Há um acúmulo de navios que ficaram retidos nos portos do sul da Ucrânia como resultado da guerra de mais de cinco meses. O JCC diz que os navios precisam sair para liberar espaço para outros navios entrarem nos portos para que possam coletar e transportar alimentos para exportação para os mercados mundiais.

Notícia relacionada[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]