Mais de três mil indígenas no Acre recebem atendimento

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

13 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Governo do Brasil

Durante 10 dias, a missão interministerial mobilizou uma equipe de 30 profissionais de saúde das Forças Armadas do Brasil que atuaram nas aldeias de Morada Nova, Formoso, Nova Floresta, São Vicente, Sete Estrelas, Boa Vista e Barão. Além de todo o suporte logístico, as pastas enviaram mais de duas toneladas de insumos, entre medicamentos, testes rápidos e equipamentos de proteção individual.

Ao longo da missão, os indígenas que apresentavam dificuldade respiratória e os que apresentavam quadros suspeitos do novo coronavírus eram encaminhados para avaliação médica e testagem. De acordo com o major William Lyra Rocha, bioquímico do Ministério da Defesa, a ação serviu para comprovar a queda na taxa de transmissão da Covid-19.

“Diante da ausência de quadros clínicos da doença, apenas 30 pacientes foram testados ao longo de toda a missão. Nesses casos, a maioria dos resultados detectou IgG positivo. Isso significa que o paciente teve infecção há pelo menos três semanas e, muito provavelmente, pode estar imunizado”, explica.

Coordenadora do Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Juruá, Iglê Monte da Silva, corrobora com a percepção de um cenário de imunização. Supervisionando a atenção à saúde em 162 aldeias e priorizando atendimento humanitário que acolhe os indígenas no próprio ambiente, a assistente social acredita que o pico da Covid-19 já passou.

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit