Maior banco da China adota Turbolinux

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tux, o mascote do Linux.

4 de maio de 2005

O sistema operacional da distribuição Turbolinux, uma variante do software livre Linux, foi escolhido como servidor interno para as operações bancárias do maior banco da China, no lugar do sistema SCO Unix. O Banco Industrial e Comercial da China (ICBC) anunciou a migração terça-feira, 28 de abril.

O anúncio é de importância significativa dada a magnitude do banco. Este é o maior lugar da China com Linux, explicou o gerente-geral da Turbolinux na China, Claude Zhou. O ICBC atende a 108 milhões de clientes e maneja ativos por volta de 640 bilhões de dólares. Seus 390 mil funcionários estão repartidos em 20 mil escritórios regionais, por toda China. A instalação do novo sistema se realizará em vários passos, e será completada em três anos.

Zhou descreveu como razões para a migração: a estabilidade e a segurança do Linux. Nielse Jiang, um analista de IDC, também atribuiu a medida a deficiências no suporte oferecido pelo grupo SCO. "Na China, a SCO Unix oferece um suporte deficiente a seus clientes. Têm muito poucos empregados," explicou Jiang.

O ICBC selecionou o Turbolinux entre seus diferentes competidores, que incluíam a Microsoft, em parte devido a sua necessidade de continuar a executar aplicações baseadas em Unix, desenvolvidas especificamente para o banco. Outro fator importante na tomada desta decisão foi a capacidade de crescimento e estabilidade de Linux.

A Turbolinux foi a versão mais instalada de Linux nos últimos 4 anos na China. Em 2004, o Turbolinux dominava 62% do mercado de servidores e 24,9% do mercado de estações de trabalho, uma proporção muito mais alta do que nos Estados Unidos da América.

Os outros três grandes bancos de China já anunciaram planos de migração para servidores GNU/Linux de várias distribuições.

Fontes