Lula se diz traído e pede desculpas ao povo brasileiro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Brasília - Presidente Lula faz pronunciamento na abertura da reunião ministerial na Granja do Torto. Foto: Ricardo Stuckert/PR

12 de agosto de 2005

Brasil — O Presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva fez no início da tarde de hoje um pronunciamento à nação brasileira. O discurso precede a 11ª reunião ministerial de seu mandato, da qual disse que tomará parte.

Após enaltecer os feitos de sua administração, o presidente começou a falar sobre a grave crise política, que surgiu com denúncias de corrupção, e que ameaça o seu governo.

Ele disse estar "consciente da gravidade da crise política" que "compromete todo o sistema partidário brasileiro".

O Presidente lembrou sua participação na criação do Partido dos Trabalhadores (PT) em 1980, que ele disse ter ocorrido com o objetivo de "moralizar" e "tornar cada vez mais limpa a disputa eleitoral". Lula disse que tem sido sempre fiel, até o presente, a esses ideais de moralidade e que se sente traído:

Ajudei a criar esse partido [Partido dos Trabalhadores] e, vocês sabem, perdi três eleições presidenciais e ganhei a quarta, mantendo-me sempre fiel a esses ideais, tão fiel quanto sou hoje. Quero dizer a vocês, com toda a franqueza, eu me sinto traído. Traído por práticas inaceitáveis das quais nunca tive conhecimento. Estou indignado pelas revelações que aparecem a cada dia, e que chocam o país. O PT foi criado justamente para fortalecer a ética na política e lutar ao lado do povo pobre e das camadas médias do nosso país. Eu não mudei e, tenho certeza, a mesma indignação que sinto é compartilhada pela grande maioria de todos aqueles que nos acompanharam nessa trajetória.

O Presidente disse que "se estivesse a seu alcance já teria identificado e punido exemplarmente os responsáveis por esta situação". Ele ressaltou o trabalho da Polícia Federal em seu governo e disse que o Congresso Nacional e o Judiciário estão a cumprir cada um a sua parte.

Lula disse que seu governo vai trabalhar para que todos os culpados sejam responsabilizados e entregues à Justiça e disse que ajudou as investigações ao afastar imediatamente todos os envolvidos. Ele defendeu uma reforma política para evitar que haja problemas semelhantes no futuro.

Ele convocou os ministros, políticos da oposição, trabalhadores, empresários e toda a sociedade para "arregaçar as mangas" e "redobrar esforços" para evitar que a crise política atinja a economia brasileira. Ele pediu a seus ministros para trabalharem mais:"Se atualmente vocês, Ministros e Ministras, trabalham até 11 h da noite, trabalhem um pouco mais, até meia noite, uma hora da manhã, porque nós sabemos que muito já fizemos, mas muito mais temos que fazer porque o Brasil precisa de nós".

Na parte final de seu discurso, o presidente pediu desculpas:"(...)eu não tenho nenhuma vergonha de dizer ao povo brasileiro que nós temos que pedir desculpas. O PT tem que pedir desculpas. O governo, onde errou, tem que pedir desculpas..."

Lula pediu aos brasileiros para não perderem a esperança, afirnou que ele está tão ou mais indignado do que eles e finalizou o discurso dizendo que tem certeza que pode contar com o apoio do povo.

Ver também

Áudio

(video) Lula pede desculpas à Nação (link externo)

O presidente voltou a afirmar que nada sabia sobre os fatos que geraram os escândalos hoje investigados. (Nilo Bairros/RadioAgência Senado - 01:34).

Fontes