Los Angeles Times acusa militares americanos de usar jornais iraquianos para propaganda

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de dezembro de 2005

O jornal Los Angeles Times publicou um artigo em que alega que militares americanos indevidamente plantaram em jornais iraquianos notícias referentes à campanha no Iraque e à luta anti-terrorismo.

Esses artigos supostamente estariam a promover uma imagem positiva da operação militar americana no território iraquiano e teriam sido escritos por oficiais e soldados que se passaram por jornalistas independentes e pagaram para ter suas histórias traduzidas e publicadas.

O tenente coronel Barry Johnson disse que isto fazia parte das operações e que as informações usadas nas histórias eram baseadas em factos reais. Donald Rumsfeld defendeu a idéia de que a prática é democrática.

O senador Edward M. Kennedy (Partido Democrata-Massachusetts) enviou uma carta ao Departamento de Defesa solicitando uma investigação. Segundo o Washington Post, ele não achou correcta a colocação de propaganda favorável aos americanos na mídia iraquiana.

Uma nota liberada pela Coalizão das Forças do Iraque (Multinational Force Iraq - MNFI) diz:

"Como parte das nossas operações, nós oferecemos artigos para publicação em jornais iraquianos, e em alguns casos os artigos foram aceitos e publicados, como parte da compra de espaço para publicidade no espaço editorial, como é feito costumeiramente no Iraque".

A nota acrescenta que: "A MNFI está a analisar essas acusações e irá investigar qualquer ato impróprio. Se qualquer parte de nosso processo não tiver a nossa completa confiança, nós examinaremos-a e tomaremos a acção apropriada."

Fontes