Kofi Annan critica a imprensa em sua última entrevista colectiva do ano

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

27 de dezembro de 2005

O secretário-geral das Nações Unidas Kofi Annan deu na quarta-feira (21) a sua entrevista colectiva anual de fim de ano. Annan criticou a imprensa e discutiu com um repórter recusando-se a responder algumas perguntas.

Durante a entrevista, Kofi Annan disse que a sua maior frustração foi o facto de as Nações Unidas não terem sido bem sucedidas em evitar a Guerra no Iraque. "Penso que se pudesse voltar nos últimos anos, uma coisa que eu gostaria de ter visto é que nós fizemos tudo que podemos para evitar uma guerra no Iraque, a qual trouxe divisão dentro desta organização e na comunidade internacional. E isso é uma coisa que ainda me atormenta, o facto de uma organização internacional como a nossa não ter sido capaz de fazer."

O comentário do secretário não foi bem recebido por autoridades iraquianas. O embaixador do Iraque para as Nações Unidas Feisal Amin al-Istrabadi disse: "Se os EUA e os seus aliados não tivessem removido Saddam Hussein, ele ainda estaria torturando todos nós". Ele ainda lembrou que o governo iraquiano violou as resoluções do Conselho de Segurança durante 13 anos antes de a administração do Presidente Bush forçar Saddam a respeitá-las.

O secretário-geral criticou ainda a cobertura feita pela imprensa do escândalo Petróleo-por-Alimentos. A imprensa, segundo Annan, estaria dando muito destaque para o papel do secretário-geral no escândalo e deixando de divulgar aquilo que é importante, que seria o facto de mais de 2200 companhias e indivíduos de 40 países terem recebido suborno de Saddam Hussein.

Contudo a entrevista começou a ficar mesmo tensa quando repórteres começaram a fazer perguntas a respeito de um automóvel Mercedes-Benz comprado no nome de Kofi Annan por seu filho Kojo. Quem ajudou a comprar o carro, além do próprio Annan, foi Michael Wilson, amigo de Kojo e executivo da companhia suíca Cotecna (empresa envolvida no escândalo Petróleo-por-Alimentos). O secretário-geral recusou-se a dizer com quem está o carro. "Por favor, dirijam suas perguntas para os advogados deles ou para eles", disse Kofi Annan.

Annan perdeu a paciência quando James Bone, do London Times insistiu em perguntar sobre o carro. O secretário-geral respondeu: "Escute aqui, James Bone. Você está se comportando como um estudante bastante crescido que fica na mesma série durante muitos meses e anos. Você é um embaraço para seus colegas e para a sua profissão. Por favor, páre de se comportar mal e vamos falar sobre um assunto mais sério." E Annan não respondeu sobre o carro.

Ver também

Fontes