Justiça concede liberdade a fazendeiro acusado de matar Dorothy Stang

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

17 de fevereiro de 2009

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O acusado de mandar matar a missionária americana, Dorothy Stang, Regivaldo Pereira Galvão, conhecido como Taradão, recebeu ontem (16) um habeas corpus do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). Galvão estava preso desde dezembro de 2008, por grilagem e estelionato por apropriação de terras públicas.

De acordo com a nota do Tribunal, o principal fator levado em consideração pela 3ª Turma do TRF-1 na decisão foi o extenso prazo para a conclusão do inquérito policial. Com a decisão, Galvão deve aguardar em liberdade a conclusão das investigações que devem terminar em 60 dias.

O processo será encaminhado ainda para Procuradoria Regional da República da 1ª Região para que um procurador analise a possibilidade de entrar com um recurso contra a decisão.

Em 2006, o Galvão conseguiu um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) depois de ficar preso por mais de um ano pela morte da missionária.

Galvão responde ainda a outras ações por trabalho escravo, crimes ambientais e fraudes contra a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).


Fontes