Johnson & Johnson pede aprovação da OMS para sua vacina COVID-19

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

21 de fevereiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A farmacêutica formalizou o pedido à Organização Mundial da Saúde para aprovar o uso emergencial de sua vacina contra COVID-19. Se aprovado, isso incentivaria o uso massivo da vacina em todos os países. Da mesma forma, aceleraria a entrada da vacina para posterior venda a organismos internacionais e também às nações do mundo.

A Johnson & Johnson também deve fornecer doses de sua vacina ao mecanismo COVAX, um projeto que busca a distribuição eqüitativa e justa de vacinas para mais de 190 países de baixa e média renda. Também fornecerá a vacina a preços baixos durante a fase aguda da pandemia.

Como a vacina funciona e sua eficácia

Para a aplicação desta vacina é necessária apenas uma dose, estima-se que sua duração em refrigerador normal é de 3 meses, o que ajudaria países pobres e áreas rurais que não possuem os equipamentos necessários para manter as vacinas em um estado sob frio, como exigido por outras vacinas.

Os ensaios preliminares produziram os seguintes resultados, envolvendo 44.000 voluntários:

  • América Latina: 66% de eficácia em casos moderados e graves.
  • África do Sul: 57%, menos eficaz porque existe uma cepa mais contagiosa do vírus no continente, o que torna a vacina menos eficaz.
  • Estados Unidos: 72%

O laudo indicou ainda que a vacina foi 85% eficaz contra sintomas graves, e após sua injeção após um período de 28 dias, constatou-se que quem foi vacinado não necessitaria de internação, assim como não houve óbitos.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit