Interpol inicia caçada atrás do "Doutor Morte"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

11 de junho de 2005

Um médico que de tão inepto recebeu a alcunha de "Doutor Morte" por seus ex-colegas é agora o foco de uma caçada internacional iniciada pela polícia autraliana.

O doutor Jayant Patel, um indiano naturalizado americano, está ligado a pelo menos 87 mortes no curso de dois anos. Um inquérito feito pelo governo australiano recomendou que ele fosse acusado de homicídio e negligência. [1]

Toni Hoffman, a enfermeira que chamou a atenção para o recorde cirúrgico do doutor Patel em março, disse: Começamos a esconder pacientes. Nós perguntávamo-nos: "quem na Terra é capaz de parar este homem?" [2]

O inquérito do estado de Queensland recomendou que o doutor Patel seja acusado pelo assassinato de James Edward Phillips, um paciente de câncer. Philips morreu cinco dias depois de ter removida parte do esôfago pelo doutor Patel. A intervenção cirúrgica para o caso do senhor Philips já tinha sido recusada uma vez devido ao fato de as chances de sua sobrevivência numa operação terem sido consideradas pequenas. [3]

Outra paciente do doutor Patel, Marilyn Daisy, foi encontrada sem atendimento após ter uma perna amputada. Um outro médico se deparou com Marilyn poucos dias depois de sua operação, quase a entrar em estado de coma.

Além das acusações de assassinato e negligência, existem contra o doutor Patel acusações de que ele falsificou seus registros de trabalho em Queensland ao não mencionar seu histórico disciplinar nos Estados Unidos da América.

O doutor Patel foi despedido pelo Queensland's Bundaberg Base Hospital em 2003.

Enquantou trabalhou em Nova Iorque em 1984, houve reclamações de que o doutor Patel não examinava adequadamente os seus pacientes antes de uma cirurgia. Em 2001, o doutor Patel foi obrigado a suspender sua licença médica.

Atualmente é desconhecido o paradeiro do doutor Patel. Especula-se que ele ternha retornado para sua antiga casa em Portland, Oregon.

Ele deixou a Austrália em abril, pouco tempo depois de terem sido formalizadas as acusações contra ele.

Fontes