Igrejas protestantes fecham suas portas em Cuba e reclamam da lei

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

26 de janeiro de 2006

Segundo a ONG Christian Solidarity Worldwide (CSW), pelo menos três igrejas protestantes foram obrigadas a fechar em 2005 por causa da rigorosa lei cubana.

Uma das igrejas, localizada na província de Guantânamo, foi confiscada pelas autoridades e fechada em agosto de 2005. A segunda, localizada na província de Holguin, foi ameaçada de demolição no final do ano. Outra, num subúrbio de Havana, foi demolida em dezembro.

As autoridades cubanas alegam que todas as três igrejas funcionavam de maneira irregular.

Uma nova legislação que entrou em vigor em abril de 2005 obriga todas as igrejas a se registrar. Os líderes religiosos reclamam que o procedimento para o registro é "muito complicado" e dizem que ele é "praticamente impossível" de ser feito.

Um outro problema do qual reclamam muitas igrejas cubanas diz respeito às condições físicas dos seus templos e à dificuldade em se reformá-los ou poder construir novos templos.

O Governo permite a existência de apenas igrejas oficiais e que funcionem em construções anteriores à Revolução de 1959. A construção de um novo templo, ou a reforma de um já existente, só pode ser feita com uma autorização especial do Governo. A exceção é para aquelas que fazem parte do Conselho Cubano das Igrejas, vinculado ao Governo.

Fontes