IBOPE é surpreendido pelos resultados das eleições da Bahia e do Rio Grande do Sul

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de outubro de 2006

Brasil

Os resultados das eleições para governador nos estados brasileiros da Bahia e do Rio Grande do Sul foram muito diferentes do que previa o IBOPE durante a campanha. O IBOPE, no entanto, considera que seu desempenho em todo o Brasil ao longo da campanha foi “excelente”, ressalvando que o resultado final nos dois estados foi “surpreendente”.[1]

No Rio Grande do Sul, segundo o IBOPE [2], Germano Rigotto do PMDB aparecia sempre na frente, excetuando-se a primeira pesquisa, 25 de junho - onde aparecia empatado com Olívio Dutra (PT), com 26%. Na última pesquisa IBOPE, do dia 29 de setembro [3], o IBOPE mostrava Rigotto com 29% (34% dos votos válidos), Olívio Dutra (PT) que sempre aparecia em segundo, na última pesquisa, 22% (25% do votos válidos), empatado com Yeda Crusius do PSDB, que até a penúltima pesquisa registrada no sítio do IBOPE, do dia 16 de setembro, aparecia em terceiro - no dia 16 com 17%. As urnas mostraram um resultado diferente dos que previra o IBOPE [4]: Yeda Crusius (PSDB) obteve 32,90% dos votos, Olívio Dutra (PT), 27,39% e Germano Rigotto (PMDB), 27,12%. O IBOPE afirma não ter feito pesquisa boca-de-urna no estado [5], porém o portal Terra noticiou pesquisa boca-de-urna do IBOPE que dava primeiro lugar a Rigotto com 34,56%[6]. Mostrava também Olívio Dutra com 34,04% e a real primeira colocada, Yeda Crusius, como fora da disputa, com 23,40%.

Atualmente, a última pesquisa divulgada pelo IBOPE em seu sítio [7], do dia 29 de setembro, vem acompanhada de uma retrospectiva que não condiz a outras páginas presentes no sítio do próprio IBOPE.[8] Certamente, dado que os números são exatamente opostos entre Yeda e Dutra, houve uma troca de nomes, antes ou depois. Um contribuidor deste projeto mandou um e-mail para o IBOPE alertando-os para o possível engano.

Na Bahia o resultado também surpreendeu. O IBOPE até o dia 25 de setembro dava primeiro lugar ao candidato do senador Antônio Carlos Magalhães, Paulo Souto, do PFL.[9] Na pesquisa do dia 25 o IBOPE acusava que Paulo Souto ganharia no primeiro turno, com 57% dos votos válidos. No dia 30 o IBOPE dava 51% dos votos válidos a Paulo Souto e 41% a Jaques Wagner (PT), que sempre esteve atrás, porém sempre subindo nas pesquisas desde os iniciais 13%.[10] Na Bahia, porém, o “IBOPE Opinião foi até o final do processo e detectou a "virada" na pesquisa de boca-de-urna”, inferindo que Jaques Wagner teria 49% dos votos e Paulo Souto, 43%.[11] O resultado nas urnas deu 52,89% a Jaques Wagner que venceu no primeiro turno, enquanto Paulo Souto recebeu 43,03% dos votos dos eleitores. [12]

Fontes


As categorias deste artigo foram atualizadas em 17 de fevereiro de 2008. Para maiores informações veja o histórico.