Holanda vence Costa do Marfim e define classificados no "grupo da morte"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de junho de 2006

O Grupo C - "grupo da morte" - da Copa do Mundo de 2006 viu hoje a definição da sua última vaga para a segunda fase. A Holanda jogou eficientemente e derrotou a Seleção Marfinesa de Futebol por 2 a 1. O resultado marcou a segunda vitória da Holanda (havia ganho de Sérvia & Montenegro por 1 a 0) e a segunda derrota da Costa do Marfim (a Argentina fez 2 a 1 e bateu os africanos), apesar dos "Elefantes" terem jogado bem, assim como na primeira partida. O resultado deixou a Holanda em 2º com 6 pontos, atrás da Argentina pelo quesito saldo de gols (a Argentina massacrou os sérvios por 6 a 0), e a Costa do Marfim em 3º, com nenhum ponto e nenhuma chance de classificação. O "grupo da morte", que prometoa ser o mais equilibrado teve suas seleções favoritas definindo as vagas já na segunda rodada. Agora a Holanda enfrenta a Argentina para definir a ordem de classificação (no jogo mais esperado da primeira fase) e a Costa cumpre tabela com a Sérvia. O jogo foi em Stuttgart, às 18:00 locais (UTC-2).

O jogo

Esta partida é considerada de bom nível técnico, já que confronta a melhor seleção africana com o europeu que mais pontuou nas eliminatórias da UEFA. Os holandeses também renovaram sua seleção sob o comando do técnico Marco van Basten, que barrou os veteranos Seedorf, Davids e Makaay. Os marfinenses contam com Drogba, astro do Chelsea. A partida começa com a Holanda cadenciando a bola e marcando no campo de ataque, característica que remonta à Laranja Mecânica das finais de 1974 e 1978. Apesar de seu meio-campo estar "meio" apagado, Van Persie sai da área para buscar a bola, e depois que recebe, ao voltar, é atropelado por Touré, seu companheiro de Arsenal. Na falta, bota força na bola e chuta em cima do goleiro Tizie que nada pode fazer ao ver a Holanda marcar 1 a 0. O jogo segue como estava, com a diferença de que os marfinenses buscam o empate baseados em contra-ataques rápidos centrados nas laterais. Em uma investida neerlandesa, o "fominha" Robben desce em diagonal e ao chutar, vê Nilsterooy livre e passa para o companheiro que marca 2 a 0. A Costa do Marfim aperta a marcação e adianta sua defesa, começando a aproveitar mais seus ataques. Em um destes, Arouna Koné recebe bola e a carrega até a frente-esquerda da área, chutando forte e cruzado, acertando o ângulo de Van der Sar. O jogo continua equilibrado até o intervalo.

As duas equipes começam a segunda etapa do mesmo modo que a primeira, equilibradas, alternando ataques e defesas. Este resultado (que se repetiu com a Argentina) prova que a Costa do Marfim ataca bem, mas ao atacar, deixa sua defesa desprotegida. Mas eles ainda tinham tempo para reverter a situação. A Holanda retira atacantes e bota zagueiros e meias, tentando segurar o resultado. Os africanos pressionam como no jogo anterior, mas a pressão não surte efeito. Resultado final: Holanda 2 a 1 e eliminação dos marfinenses. De grosso modo, o "grupo da morte" só foi mortal para a Costa, que demonstrou um bol futebol e capacidade de reação. Só caiu no grupo errado.

Ver também