Argentina goleia e estoura crise na Sérvia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

16 de junho de 2006

Hoje a cidade de Gelsenkirchen viu a primeira grande goleada da Copa do Mundo de 2006. A Argentina massacrou por 6 a 0 a decepção Sérvia & Montenegro. Os sérvios, que vinham com a expectativa de fazer uma boa Copa após se classificarem invictos (à frente da Espanha) e sofrerem somente um gol, decepcionaram torcedores de todo ao planeta e foram irreconhecíveis diante de uma decidida Argentina que não mediu esforços para conquistar mais 3 pontos. O resultado deixa a Argentina com um pé na segunda fase e o elástico resultado aproxima-a do primeiro lugar do Grupo B - o "grupo da morte" - que ainda conta com Holanda e Costa do Marfim que se enfrentam e são segundo e terceiro colocados, respectivamente.

O jogo

A Sérvia & Montenegro precisava de uma vitória para seguir com chances de classificação, já que havia perdido para a Holanda na rodada anterior por 1 a 0. Porém, a Sérvia iniciou o jogo desfalcada. Não por algum jogador, mas sim moralmente. Como Sérvia & Montenegro haviam se separado em plebiscito realizado mês passado, jogadores dos dois países não se davam bem na seleção. Os jogadores montenegrinos também acusavam a imprensa por dar mais atenção aos sérvios, e acusavam o técnico Petkovic de tentar escalar uma "seleção sérvia". O técnico também esfriou sua relação com os jogadores ao ser obrigado a cortar seu próprio filho dos convocados, contra a sua vontade. Com todos estes fatores, uma derrota magra já seria bom resultado para os eslavos. Mas a Argentina não estava se importando com estes problemas, e começou o jogo arrasadora, tocando rápido e marcando os sérvios no seu campo de defesa. Aos 5 minutos, o lateral Maxi Rodríguez recebe ótimo passe de Riquelme e chuta cruzado de bico, marcando 1 a 0. A Sérvia sente o gol repentino e tenta sair de sua defesa, mas os volantes argentinos jogam muito bem. Aos 10, surge o gol mais bonito da Copa, envolvendo 6 argentinos e 57 segundos de passes, culminando com um toque de calcanhar de Saviola para o volante Cambiasso que chuta na parte superior do gol, marcando 2 a 0. A Sérvia continua errando passes e em outra robada de bola de Saviola (desta vez perto do corner direito), drible desconcertante no zagueiro e chute cruzado, Maxi Rodriguéz aproveita o rebote e chuta na trave antes da bola entrar e ele marcar seu segundo gol. A primeira etapa termina com domínio argentino.

No segundo tempo, Jose Pekerman inclui Tevez (jogador do Corinthians, como Mascherano) e Messi (revelação de 2005, que joga pelo Barcelona) e deixa o jogo ainda mais rápido, só que desprotege sua defesa permitindo a Sérvia atacar de tempos em tempos. As investidas sérvias param quando Kezman, atacante, pega violentamente Riquelme por trás e é expulso do jogo. Isto faz que a Sérvia se renda e concentre todos os seus esforços para não levar mais gols. Messi recebe bola na esquerda e passa na medida para que Crespo liquide a partida ao marcar 4 a 0. A Sérva desiste completamente e a Argentina parte para cima. Tevez também recebe bola pela esquerda, mete a bola entre as pernas de um zagueiro e limpa outro, ignorando pedidos de passe e marcando seu gol, 5 a 0. Ainda sobra tempo para Riquelme passar para Messi definir: 6 a 0. Os sérvios não vêem a hora da partida acabar e até os argentinos desistem de um 7 a 0.

A goleada dá novo ânimo para os platinos que esquecem de vez o fantasma de 2002 e agora enfrentam a Holanda no que parece ser a definição do primeiro colocado do grupo. A Sérvia decepciona mais uma vez e tudo leva a crer que percam também para os marfinenses. Ela se despede melancolicamente no que parece ser sua primeira e última Copa.


Desporto
Este artigo descreve um evento desportivo acompanhado ao vivo pelo colaborador. Eventos desportivos acompanhados pelos colaboradores não precisam de fontes especificadas.