Guerra na Ucrânia: dezenas de empresas deixam Rússia em protesto, inclusive Coca-Cola e McDonald's

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

25 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Dezenas de empresas com negócios nos quatro cantos do planeta optaram por deixar a Rússia como forma de protesto contra a guerra iniciada por Putin contra a Ucrânia há um mês atrás, entre elas, mais recentemente, a L'Oreal, Unilever, Starbucks, Coca-Cola, Pepsi e McDonald's. “É a coisa certa a fazer”, disse o CEO do Mc, Chris Kempckinski, numa carta aberta aos funcionários de todos os 850 restaurantes da rede no país.

A Boeing e Apple já haviam anunciado no início de março a suspensão das operações na Rússia.

M virado

Tentando preservar a reputação de Putin, em meio à onda de desinformação imposta pelo governo, que proibiu a imprensa russa de usar o termo “guerra”, mandou chamar a invasão de “operação especial” e baniu o Facebook e Instagram alegando que as duas redes estavam envolvidas com “terrorismo”, o governo Putin ordenou que todos os restaurantes do Mc passassem a usar o "M" virado, no que agora tem a aparência de um “B”, numa espécie de “russianização” da cadeia de fast-food.

Nem todos os russos, no entanto, se convenceram de que esta conversão é boa e houve correria para comprar produtos da marca.

Notícia Relacionada

Fontes