Grupo iraquiano ligado à Al Qaeda diz que vingou estupro de garota iraquiana

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

12 de julho de 2006

O Conselho de Mujaidines Shura do Iraque, um grupo alegadamente ligada à al Qaida, terça-feira colocou um vídeo na internet que parece mostrar os corpos mutilados de dois soldados dos Estados Unidos. A organização disse que os soldados foram mortos para vingar o estupro e assassinato da garota Abeer Qassim Hamza de 14 anos.

Segundo a organização, os soldados que foram raptados, mortos e mutilados pertencem à mesma unidade dos seis soldados acusados de participar do estupro.

O grupo diz numa declaração colocada na internet ao lado do vídeo, que ele foi divulgado como "vingança da nossa irmã que foi desonrada por um soldado da mesma brigada". Acrescenta ainda que depois que depois que seus "guerreiros souberam do estupro e da matança" que eles "guardaram a raiva e não divulgaram as notícias, mas foram determinados em vingar a honra da irmã" e que "O Deus Todo-poderoso permitiu-lhes capturar dois soldados da mesma brigada que este cruzado sujo".

Autoridades dos Estados Unidos no Iraque condenaram a divulgação do vídeo que é muito violento. "A [Divisão multinacional de Bagdá] condena a divulgação do vídeo nos mais fortes termos; ele demonstra a natureza selvagem e brutal dos terroristas e o seu desprezo completo pela vida das pessoas. As forças de coalizão permanecem resolutas no nosso compromisso de capturar os perpetradores deste crime e levá-los aos tribunais."

O vídeo tem 4:39 minutos de duração e mostra dois corpos mutilados em uniformes militares ensangüentados e rasgados. Um deles está decapitado e os terroristas são mostrados virando os corpos e erguendo uma cabeça.

Ver também

Referências

Fontes