Granja dos Estados Unidos no México perto de caso confirmado de gripe suína

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

   Mortes confirmadas

   Casos confirmados

   Casos sem confirmar


Veja também: Mapa em tempo real da gripe suína,Mapa em tempo real de H1N1

7 de maio de 2009

Com os olhos do mundo postos sobre México, como a origem da atual epidemia de gripe suína, descobriu que um dos primeiros casos confirmados da doença foi localizado perto de uma das fábricas subsidiária no México da empresa estaduniense de carne de porco Smithfield Foods.

Smithfield, a maior produtora da carne de porco no mundo, tem uma fábrica perto da cidade de La Gloria, o município de Perote no estado mexicano de Veracruz, que opera sob o nome de Granjas Carroll de México.

Em 2006 iniciaram as queixas dos habitantes de La Gloria na gestão de resíduos da empresa e a poluição resultante do ambiente, devido a que os cadáveres dos porcos são eliminados ao ar livre, e lagoas de oxidação contaminam águas subterrâneas e geraram odores fétidos e enxames de moscas.

Em março passado, os habitantes de La Gloria relataram uma epidemia local de infecções respiratórias, e o Instituto Mexicano del Seguro Social considerou que o vetor biológico foram enxames de moscas das suíno-culturas e lagoas de oxidação de Smithfield. Embora a empresa nega for responsável e descartou as provimentos a dor como "gripe", os locais lembran que os sintomas eram similares aos que acompanham o surto de influenza A (H1N1), que foi anunciado logo após o período de férias da Semana Santa, período a qual muitas famílias locais que residem na capital visitaram La Gloria.

Pouco antes do anúncio do foco, na Cidade do México, as autoridades enviaram um conjunto de amostras para análise no exterior se o vírus da gripe suína estava presente neles. Devido ao precedente de Veracruz, um deles veio de um menino de quatro anos de La Gloria que tinha recuperado da doença local. Sua amostra foi a única do estado de Veracruz, para a qual a presença da gripe suína foi confirmada.

Smithfield Foods, cujo lema é “Good food. Responsibly.” (“Boa comida. Responsávelmente.”, em português), declarou em um comunicado de imprensa que “com base na informação disponível até o momento, Smithfield não tem qualquer razão para acreditar que o vírus não é de forma alguma ligado a suas operações no México”. Também disse que a população de suínos é vacinada contra a gripe, e é revista mensalmente pela presença de gripe suína.

Smithfield também assegurou (através de sua filial em Veracruz), que, segundo a Organização Mundial da Saúde, o vírus não é de origem americana, mas eurasiático. Além disso disse que os primeiros casos foram apresentaram nos Estados Unidos, sendo México não é o gerador, mas o país receptor da doença.

Reafirmando que ainda não foi detectada a presença da gripe suína, em nenhuma das suas fábricas em todo o mundo, Smithfield Foods disse que tinha enviado amostras de uma das suas fábricas no México para as autoridades mexicanas para análise. Além disso, depois que o Canadá confirmou o seu primeiro caso de transmissão de humano para os animais do vírus, ele observou que não exerça a sua atividade naquele país.

Em 2007, a Smithfield encerrou duas das suas fábricas na Romênia devido a um surto de peste suína entre os suínos, vendo-se obrigada a sacrificar cerca de 39.000 e a destruir e desmontar as granjas. Também foi multada por $12,6 milhões de dólares nos Estados Unidos, por violar a lei federal de água limpa desse país, a terceira maior multa aplicada ao abrigo da lei pela agência estadunidense de proteção ao ambiente.

Dr. Carlos Arias Ortiz, diretor do Instituto de Investigações Bacteriológicas da Universidade Nacional Autônoma do México, anunciou que em meados de maio será iniciada uma investigação conjunta com a Universidade de Veracruzana para determinar se o vírus de influenza originou em La Gloria .

Fontes

Links Externos