Governo dos Estados Unidos é reaberto

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

25 de janeiro de 2019

O presidente Donald Trump e a speaker Nancy Pelosi, em janeiro de 2017.

Na tarde desta sexta-feira (25 de janeiro), o presidente norte-americano Donald Trump anunciou em pronunciamento na Casa Branca que líderes democratas e republicanos chegaram a um acordo para aprovar a reabertura temporária do governo dos EUA. Fechado desde o final de 2018, a paralisação parcial (shutdown) completou 35 dias, superando a de 2013 (17 dias), ocorrida durante o governo Obama, que até então havia sido a mais duradora.

À noite, a Câmara dos Representantes e o Senado aprovaram a medida por unanimidade. Em seguida, Trump sancionará a lei, que deve financiar o governo até meados de fevereiro. Embora anteriormente tenha dito que só abriria o governo se os congressistas aprovassem financiamento para o murro, Trump chegou a um acordo um dia após seu projeto ser derrotado no Senado, com votação embaraçante: embora com maioria republicana, mais senadores votaram a favor do projeto dos democratas (que não previam o muro) do que do apoiado pelo presidente. Ambos falharam por não terem atingido o mínimo de 60 votos favoráveis.

O anúncio de Trump constitui uma vitória dos democratas em um dia pouco animador para o presidente: seu ex-associado, Roger Stone, foi detido pelo FBI após ser acusado pelo procurador Robert Mueller de obstrução de justiça, intimidação de testemunha e mentir ao Congresso. O desfecho, ainda que temporário, também foi visto como uma grande vitória da speaker Nancy Pelosi, a democrata quase octogenaria que se manteve irredutível em sua posição de "não dar um centavo para o muro; nada." Nas palavras do jornalista Ezra Klein, Pelosi deu ao governo Trump "a mais humilhadora derrota."

Por enquanto, o destino do muro permanece incerto. Segundo as pesquisas de opinião, a maioria dos norte-americanos rejeita o projeto, mas mesmo sem o financiamento do Congresso, analistas preveem que Trump possa declarar estado de emergência para obter fundos federais e assim construir seu sonhado muro, muito apoiado por sua base.

Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati