Governo Trump limitará vistos de trabalho para estrangeiros

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

22 de junho de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O presidente dos Estados Unidos (EU), Donald Trump, anunciou que está restringindo a concessão de vistos de imigração para diversas categorias de trabalhadores estrangeiros até o final do ano. Como motivo ele cita os danos econômicos causados ​​pela pandemia de coronavírus, incluindo as perdas de empregos dos trabalhadores americanos.

O cancelamento inclui vistos de trabalhadores em empresas de tecnologia e paisagismo, chamados H-1B, bem como vistos J-1, fornecidos para estudantes de intercâmbio, e vistos L-1, fornecidos para gerentes de empresas multinacionais. A proibição temporária também se aplica aos vistos H-2B para trabalhadores sazonais não-agrícolas, embora haja exceções que incluem trabalhadores de empresas de processamento de alimentos, trabalhadores da área da saúde e au pairs que trabalham com prestação de serviços de cuidados infantis. Trabalhadores agrícolas também não terão restrição.

Autoridades da Casa Branca disseram que a medida é necessária para proteger os trabalhadores norte-americanos após a onda de desemprego durante a pandemia e impedirá que 525.000 vagas de trabalho sejam ocupadas por imigrantes, mas críticos dizem que Trump está usando a pandemia para avançar com sua política anti-imigração, parte central de sua campanha eleitoral.

Grandes grupos empresariais, incluindo grandes empresas de tecnologia, bem como a Câmara de Comércio dos EU, se opuseram ao "congelamento" da emissão dos vistos, dizendo que muitos trabalhadores estrangeiros são essenciais, inclusive para a recuperação econômica pós-pandemia.

Ao todo, 45,5 milhões de norte-americanos entraram com pedido de auxílio por desemprego desde meados de março, o que significa mais de um quarto da força de trabalho dos EU, de 164,6 milhões. O número de pessoas que atualmente ainda está recebendo benefícios caiu para cerca de 20,5 milhões, já que milhões de trabalhadores já retornaram aos seus empregos.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit