Governadores suspendem diálogo com o governo boliviano

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

2 de outubro de 2008

Governadores de oposição suspenderam ontem (1º), temporariamente, a negociação com o governo Evo Morales, em protesto pela prisão do líder opositor Jose Vaca. A informação é da Agência Boliviana de Informação.

Segundo a agência, que é estatal, o governo boliviano acusa Vaca de ser um dos responsáveis pelo ataque ao gasoduto Yacuiba-Rio Grande, que acirrou a crise institucional no país, que causou a morte de cerca de 20 pessoas.

A decisão foi comunicada pelo governador de Tarija, Mario Cossío, que disse que "é preciso fazer barulho e restabelecer condições para avançar no processo de diálogo". Para ele, a detenção do líder opositor viola um dos pontos do acordo com o governo que deram início ao um processo de diálogo, em 18 de setembro.

Em La Paz, capital da Bolívia, o ministro de Governo, Alfredo Rada, disse que a prisão de Vaca ocorreu conforme a lei, e que há provas do envolvimento dele nos ataques ao gasoduto. Afirmou ainda que não houve seqüestro do líder, ao contrário do que diz parte da imprensa do país.

As mesas de trabalho buscam mecanismos para compatibilizar a nova Constituição com as demandas pela autonomia dos departamentos e a distribuição dos recursos do Imposto Direto sobre Hidrocarbonetos (IDH).

De acordo com a agência estatal, Cossío insistiu que os prefeitos não querem o fim do diálogo, e que vai continuar em Cochabamba aguardando uma reposta de Evo Morales.


Fontes