Geneticistas produzem camundongos assassinos ativados por laser

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Science-symbol-2.png
Outras notícias sobre Ciência


16 de janeiro de 2017

Mouse-19-Dec-2004.jpg

Em pesquisa divulgada na quinta-feira na revista científica Cell, cientistas da Universidade Yale afirmam que conseguiram desencadear um comportamento agressivo em camundongos usando optogenética, uma forma de ativar células no cérebro de um organismo quando expostas a um laser.

A equipe de pesquisa usou um vírus criado para alterar conjuntos específicos de neurônios. Em seguida, eles adaptaram os ratos com fibras ópticas intracranianas para que pudessem expor seus cérebros à luz azul. O sistema excitou dois conjuntos diferentes de neurônios na parte do cérebro associada com emoção e agressão. Um conjunto estimulou o comportamento de perseguição, tal como a caça, e o outro estimulou o animal para usar seus músculos da maxila e do pescoço. Quando expostos ao laser, os camundongos primeiro se moviam silenciosamento como se caçando, em seguida, saltavam e mordiam qualquer objeto em seu recinto, mesmo objetos sem ser alimento ou presa, como tampas de garrafas.

"Quando acendiamos o laser e eles saltam sobre um objeto, prendiam-o com as patas e mordiam-o intensamente como se estivessem tentando capturá-lo e matá-lo", diz o pesquisador-chefe e professor de psiquiatria da Yale Ivan de Araujo. Os ratos se comportaram normalmente ao desligar o laser.

Os experimentos foram financiados por organizações nacionais de pesquisa nos Estados Unidos e China e do governo do Brasil.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati