GNR é atacada no Timor-Leste

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

7 de março de 2009

Dili, Timor-Leste


Uma patrulha e vários elementos da Guarda Nacional República (GNR) estacionados em Timor-Leste foram atacados, na noite de ontem, junto a um restaurante em Díli, tendo quatro militares sofrido ferimentos ligeiros.

Segundo fonte oficial da GNR, uma patrulha ia buscar cinco militares do Subagrupamento Bravo a um restaurante na Avenida de Portugal, a marginal da zona oeste de Díli, quando “começou a ser atacada com pedras e catanas” por cerca de três dezenas de timorenses. Os militares que saiam do restaurante na mesma altura foram igualmente atacados.

Os quatro elementos da GNR feridos sofreram apenas ferimentos ligeiros e “encontram-se livres de perigo”, disse fonte da corporação em Timor, precisando que um sofreu uma luxação no ombro, outro uma contusão no pescoço “devido a uma catanada”, um terceiro militar levou “um golpe superficial na face” e um quarto GNR “um golpe profundo nas costas”.

A GNR conseguiu deter três indivíduos, dois no local e um pouco depois, após reconhecimento de um dos envolvidos por uma patrulha. Segundo fonte dos militares portugueses, um dos detidos pertence à Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL).

A GNR precisou ainda que todos os envolvidos no incidente, quer os militares quer os detidos, foram submetidos a teste de alcoolémia pela Polícia das Nação Unidas. Os portugueses não acusaram álcool no sangue, enquanto que dois dos detidos tinham taxas superiores a 1g/l.

Fontes