França suspende 3.000 profissionais de saúde não vacinados

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

17 de setembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A França suspendeu 3.000 profissionais de saúde que não foram inoculados com a vacina COVID-19 até o prazo de 15 de setembro determinado pelo governo.

“Várias dezenas” dos 2,7 milhões de trabalhadores de saúde do país, disse o ministro da Saúde, Olivier Veran, na quinta-feira, optaram por renunciar ao invés de receber a vacina contra o coronavírus.

Dezenas de milhares de profissionais de saúde não foram vacinados em julho, quando o presidente Emmanuel Macron anunciou o prazo de 15 de setembro para receber pelo menos uma injeção de vacina.

Veran disse que a maioria dos funcionários suspensos trabalhava em serviços de apoio, enquanto poucos médicos e enfermeiras estavão entre os suspensos.

O Centro de Recursos do Coronavírus Johns Hopkins disse na sexta-feira que a França relatou mais de 7 milhões de casos de COVID e mais de 116.000 mortes de COVID.

No estado americano de Idaho, os hospitais começaram a racionar o atendimento "porque o aumento maciço de pacientes COVID-19 que requerem hospitalização em todas as áreas do estado esgotou os recursos existentes", disse o Departamento de Saúde e Bem-Estar de Idaho em um comunicado na quinta-feira.

“A situação é terrível - não temos recursos suficientes para tratar adequadamente os pacientes em nossos hospitais, se você está lá por causa de COVID-19 ou um ataque cardíaco ou por causa de um acidente de carro”, disse o diretor da DHW, Dave Jeppesen, em um comunicado.

Fonte



Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit