Forças de segurança de Mianmar reprimem novamente os manifestantes

Fonte: Wikinotícias
Protestos em Mianmar (2021)

21 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

As forças de segurança de Mianmar reprimiram novamente no sábado os manifestantes antigovernamentais em todo o país em face das crescentes críticas globais sobre sua campanha cada vez mais agressiva para encerrar as manifestações desencadeadas pelo golpe de 1º de fevereiro.

Na sexta-feira, o secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, condenou veementemente a brutalidade contínua dos militares de Mianmar, depois que pelo menos oito manifestantes anti-golpe foram mortos na cidade central de Aungban, no estado de Shan oriental.

“O assassinato de manifestantes pacíficos e prisões arbitrárias, incluindo jornalistas, é totalmente inaceitável”, disse o porta-voz de Guterres, Stephane Dujarric, a repórteres. “Os militares continuam a desafiar os apelos, inclusive do Conselho de Segurança [da ONU], para acabar com as violações dos direitos humanos fundamentais e retornar ao caminho da democracia.”

Os militares de Mianmar enfrentam condenação internacional pelo golpe de 1º de fevereiro e pela repressão sangrenta dos protestos contra o regime militar, nos quais quase 250 pessoas foram mortas até agora.

Notícias Relacionadas

Fontes