Facebook bloqueia grupos críticos da monarquia na Tailândia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

25 de agosto de 2020

O Facebook bloqueou na segunda-feira o acesso dentro da Tailândia a um grupo com 1 milhão de membros que discute a monarquia, depois que o governo ameaçou com ação legal.

A mudança ocorre em meio a protestos diários liderados por jovens contra o governo e apelos sem precedentes por reformas da monarquia.

O grupo "Royalist Marketplace" foi criado em abril por Pavin Chachavalpongpun, um acadêmico exilado e crítico da monarquia.

Na noite de segunda-feira, a página do grupo trouxe a mensagem: "O acesso a este grupo foi restrito na Tailândia em conformidade com uma solicitação legal do Ministério da Economia e Sociedade Digital."

Pavin, que mora no Japão, disse que o Facebook cedeu à pressão do governo dominado pelos militares.

O Facebook disse na terça-feira que planeja contestar legalmente o governo tailandês após ser "compelido" a bloquear o acesso ao grupo.

No início deste mês, o ministro da Economia e Sociedade Digital, Buddhipongse Punnakanta, acusou o Facebook de não atender às solicitações de restrição de conteúdo, incluindo insultos à monarquia. Em 10 de agosto, ele deu ao Facebook 15 dias para cumprir as ordens de remoção do tribunal ou enfrentar acusações sob a Lei de Crimes Informáticos local.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com