FARC saúdam e se comparam ao MST

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

1 de julho de 2007

Brasil

Segundo o website do Partido Comunista do Brasil, as FARC saudaram a realização do 5º Congresso do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra(MST), que aconteceu em Brasília, semana passada. As FARC também compararam a "luta dos trabalhadores rurais sem terra do Brasil com a luta da organização na Colômbia".

A organização de inspiração comunista é uma das principais fornecedoras de drogas e armas do continente americano segundo autoridades policiais. No entanto, foram as FARC que acusaram outros governos e empresários do ramo agropecuário de relações com o tráfico de drogas: “os governos liberais e conservadores das oligarquias não fazem [a Reforma Agrária] porque defendem os interesses dos grandes latifundiários e pecuaristas, que também são narcotraficantes, financiadores e instigadores das quadrilhas dos paramilitares ao serviço do Terrorismo de Estado”.

As FARC ainda disseram:"A realização do seu Quinto Congresso é uma demonstração evidente da formação política, da organização, da unidade e da solidariedade dos trabalhadores rurais brasileiros, qualidades fundamentais na luta pelas transformações políticas, sociais e econômicas necessárias à construção de um mundo justo que certamente resultará da luta de todos os trabalhadores brasileiros em consonância com as lutas que já começam a ser vitoriosas nos diferentes horizontes da América Latina e do Caribe".

Os narcoguerrilheiros acrescentaram:"Essa luta é Causa Comum dos camponeses de toda América Latina e do Caribe e é tão antiga como a história da nossa região. Sua atualidade e força resultam do amadurecimento das diferentes organizações dos trabalhadores a exemplo do MST cuja palpitante atuação engrandece e fortalece a luta popular da Nossa América. (...)a atual luta na América Latina e Caribe leva implícita a criação de um Estado de novo tipo, um regime político que interprete nossas realidades e governos que caminhem com suas próprias pernas, vale dizer, soberanos e independentes. No rumo dessa realidade, caminhamos já e o bravo MST é parte integrante da compreensão desse processo".

Fontes