Ex-ministro português Antonio Mexia e Marcos Valério se contradizem quanto à natureza de encontro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de agosto de 2005

Brasil

Segundo o jornal Expresso, em matéria publicada em 16 de julho, o ex-Ministro Antonio Mexia disse que recebeu o empresário brasileiro Marcos Valério em janeiro de 2005.

Mexia teria dito que recebeu Valério como "consultor do Presidente do Brasil", a pedido de Miguel Horta e Costa, Presidente da Portugal Telecom. Valério negou que se apresentou como representante do governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A Portugal Telecom nega ter tido contato com Valério em Lisboa, embora admita que tenha encontrado o empresário para discutir a aquisição da operadora de telefonia Telemig.

Uma nova notícia publicada hoje (4) pelo jornal O Estado de São Paulo, relata que Mexia disse que recebeu Valério como empresário e não como representante do governo brasileiro.

Valério confirma que se encontrou com Mexia, mas nega que tenha sido na qualidade de "consultor do Presidente do Brasil". Uma nota distribuída por Valério à imprensa diz:

O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza esclarece que esteve em Portugal, no ano passado, quando visitou o ministro de Obras Públicas daquele País, senhor António Mexia, que lhe foi apresentado por Miguel Horta e Costa, presidente da Portugal Telecom. Mas, nega, veementemente, que tenha sido recebido como consultor ou representante da Presidência da República do Brasil ou de qualquer órgão governamental brasileiro.

O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, através de sua assessoria também nega que Marcos Valério tenha sido enviado como representante do governo brasileiro. A assessoria da Presidência da República do Brasil emitiu uma nota para a imprensa que diz o seguinte:

Nota à imprensa

A Presidência da República nega enfaticamente que o sr. Marcos Valério tenha sido, em qualquer momento, autorizado a apresentar-se como "consultor do Presidente do Brasil" junto ao governo português ou em qualquer outra situação. A representação do governo brasileiro fora do País dá-se exclusivamente pela indicação formal, com endosso oficial, o que nunca ocorreu. Tampouco a Embaixada do Brasil, em Portugal, intermediou qualquer audiência com o então ministro António Mexia.

Cabe ressaltar que a Embaixada do Brasil, em Portugal, está contatando o ex-ministro para buscar os esclarecimentos necessários. Após estes esclarecimentos, as medidas judiciais cabíveis serão tomadas em face dos responsáveis por eventuais ações indevidas.

Secretaria de Imprensa e Porta-Voz da Presidência da República

Brasília, 03 de agosto de 2005"

Ver também

Fontes