Exército anuncia golpe de Estado na Tailândia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O comandante do Exército da Tailândia, Prayuth Chan-Ocha, anunciou um golpe de Estado em 22 de maio. Ele disse, em pronunciamento na TV, que o Exército está tomando o controle do governo para restaurar a ordem na Tailândia e promover reformas políticas. Além disso, ele determinou um toque de recolher em todo o país entre 22h e 5h e declarou que todas as rádios e TVs devem interromper suas programações normais para transmitir apenas as informações do Exército.

O golpe ocorreu após uma reunião com líderes de facções políticas rivais, com o propósito de interromper manifestações que já se prolongam há seis meses no país, as quais exigiam inicialmente a renúncia da primeira-ministra Yingluck Shinawatra. Ela foi destituída pela Justiça no início de maio. O Exército também anunciou o envio de tropas para dissolver as manifestações. Jatuporn Prompan, líder do movimento dos “camisas vermelhas”, autor de manifestações favoráveis ao governo, disse que irá resistir.

Durante os confrontos, que deixaram 28 mortos em seis meses, os manifestantes da facção antigovernista exigiam uma reforma no sistema político, tido por eles como corrupto. O país está em crise desde o golpe de Estado que derrubou, em 2006, o primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, que foi acusado pelos opositores de continuar comandando o governo do exílio. Os "camisas vermelhas" também são seguidores de Thaksin, que é irmão de Yingluck Shinawatra, e ameaçavam intensificar os protestos da sua facção se os militares tomassem o poder. O pronunciamento do Exército foi o seguinte: “No interesse da ordem pública e da lei, assumimos os poderes. Por favor, permaneçam calmos e continuem com seus afazeres diários”.

A Tailândia sofreu 18 golpes de Estado em 80 anos.

Fontes[editar]