Empresário brasileiro confirma empréstimo de avião para suposta "Operação Cuba"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de novembro de 2005

Brasil

Segundo a Folha de S. Paulo, o empresário Roberto Colnaghi, disse na quinta-feira (3) que emprestou seu avião Seneca, em 31 de julho de 2002. O avião foi citado na reportagem da edição número 1929, de 2 de novembro de 2005 da revista Veja.

O empresário não especificou exatamente para quem emprestou o avião e disse, se referindo à reportagem da revista, que a "identidade está implícita".

Colnaghi também disse que não procurou saber para que seria usado o avião quando emprestou-o e que por causa disso não se responsabiliza pelo uso dele.

Na matéria publicada por Veja, o ex-assessor do atual Ministro Antonio Palocci, Vladimir Poleto, teria dito que transportou dinheiro cubano, escondido em caixas de bebida, num avião Seneca de Brasília a Campinas.

A suposta remessa teria sido recebida por outro ex-assessor de Palocci, Ralf Barquete, no aeroporto de Viracopos, em Campinas. Daí o dinheiro teria sido transportado de carro para São Paulo, e entregue ao tesoureiro Delúbio Soares, no comitê eleitoral de Lula na Vila Mariana, Zona Sul da cidade.

A matéria da revista foi considerada "infundada" pelo Presidente do PT, Ricardo Berzoini.

Ver também

Fontes