Donald Trump escolhe juiz conservador para o Supremo Tribunal

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

Brett Kavanaugh é juiz do tribunal de apelações no Distrito de Columbia, na capital americana

10 de julho de 2018

O Presidente americano, Donald Trump, escolheu o juiz conservador Brett Kavanaugh para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal.

O anúncio foi feito na noite de ontem (segunda-feira, 9) na Casa Branca, com transmissão em cadeia nacional pela televisão.

Kavanaugh, natural de Washington, de 53 anos, é juiz do Tribunal de Apelações do Distrito de Columbia, na capital americana.

Ele vai ocupar o lugar deixado por Anthony Kennedy, que se aposenta a 31 de Julho.

Na sua intervenção, Donald Trump elogiou a "impecável qualificação" de Kavanaugh, a quem chamou de "um jurista brilhante", para o cargo.

"Não há ninguém nos Estados Unidos mais qualificado e que mereça mais do que Kavanaugh", disse Trump.

O juiz agradeceu o Presidente pela confiança e discursou acompanhado da mulher e das filhas.

“A minha filosofia jurídica é directa: um juiz deve ser independente e deve interpretar a lei, não fazer a lei. Um juiz deve interpretar os estatutos como escritos. E um juiz deve interpretar a Constituição como escrita, informada pela história, e tradição e precedente ”, disse Kavanaugh no seu discurso em que ressaltou os seus laços com sua família e a sua fé católica romana.

A escolha de Trump abre uma dura batalha no Senado com os republicanos a necessitarem dos seus 51 membros no total de 100.

Oposição democrata

Minutos depois do discurso do Presidente, o senador Chuck Schumer, líder da minoria democrata no Senado, anunciou que vai lutar para impedir a nomeação do juiz.

"Vou me opor [à nomeação] com tudo que eu puder", disse Schumer, acrescentando que "os direitos reprodutivos da mulher estarão nas mãos de cinco homens no Supremo Tribunal".

O juiz

Brett Kavanaugh tem um registo judicial sólido e conservador desde 2006 no influente Tribunal de Apelações dos Estados Unidos no Distrito de Colúmbia, o mesmo tribunal onde anteriormente serviram três juízes do actual Supremo Tribunal, entre eles o actual, presidente, John Roberts.

Alguns activistas conservadores questionaram se ele será suficientemente conservador para não mudar o seu voto.

Kavanaugh trabalhou na Casa Branca durante a administração de George W. Bush antes de ser nomeado para o tribunal de apelações em 2003.

Na altura, foi fortemente acusado pelos democratas pelo seu excessivo partidarismo e a sua confirmação levou três anos

Kavanaugh trabalhou também para o procurador especial Kenneth Starr, que liderou a investigação no caso “Lewinsky-Clinton”.

Mais tarde, ele recuou e disse que os presidentes deveriam estar livres de processos civis, criminais e investigações enquanto estivessem no cargo.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati