Divulgada pesquisa CNI/IBOPE realizada entre 29 e 31 de Julho referente à eleição presidencial brasileira de 2006

Fonte: Wikinotícias

5 de agosto de 2006

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Ontem o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE) divulgou pesquisa encomendada pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI). O IBOPE ouviu 2002 pessoas entre os dias 29 e 31 de julho. Entre outras perguntas, os entrevistados responderam algumas diretamente relacionadas à eleição presidencial.

Respondendo à pergunta “Em quem o(a) sr(a) votaria para Presidente da República se a eleição fosse hoje?”, onde não são apresentados os nomes dos candidatos à presidência - expontânea, 31% responderam que votariam em Lula, 14, em Geraldo Alckmin, 6% em Heloísa Helena. Os outros candidatos receberam menos de 1%. Votos Brancos ou Nulos foram 9%. Eleitores que não souberam ou não quiseram opinar totalizaram 37%.

Respondendo à pergunta estimulada, onde os nomes dos candidatos são apresentados aos entrevistados antes, 44% dos entrevistados disseram que votariam em Lula, 25, em Geraldo Alckmin, 11%, em Heloísa Helena. Cristovam Buarque e Luciano Bivar receberiam 1% cada. José Maria Eymael e Rui Costa Pimenta não chegariam a ter 1 % dos votos. Votos Brancos mais votos Nulos resulta em 9%. Entrevistados que ainda estão indecisos ou que não quiseram opinar foram 9%. Indicando assim que Lula seria reeleito com 44% dos votos contra 38%, total de pessoas que votaram em seus adversários.

Comparando esta simulação a outra, realizada entre 22 e 24 de julho, o número de eleitores que votariam em Lula é o mesmo. O número de eleitores que votariam em Alckmin diminuiu, de 27 para 25% dos eleitores, assim como de Eymael, que era 1%. E subiu o número de eleitores de Heloísa Helena, 8 para 11%, e de Luciano Bivar, que não atingia 1% na pesquisa anterior.

O IBOPE também perguntou aos eleitores, se a disputa entre Lula e Alckmin fosse ao segundo turno, em quem eles votariam. 50% disseram que votaria em Lula e 36%, em Alckmin. 10% Branco ou Nulo e 4% não souberam ou não opinaram. A mesma pergunta foi feita com a hipótese de Lula e Heloísa Helena disputando o segundo turno. Nesta simulação Lula recebeu 53% dos votos, Heloísa, 30%. Eleitores que votaram Branco ou Nulo totalizaram 12%, não souberam ou não opinaram, 5%.

Na pesquisa anterior, que simulou apenas o segundo turno entre Lula e Alckmin, Lula tinha 48% e Alckmin 39%.

Além dessas, o IBOPE realizou outras perguntas. Pediu para que os entrevistados falassem sobre cada um dos candidatos: se “com certeza votaria” no candidato em questão, se “poderiam votar”, se “não votaria nele de jeito nenhum” ou se “não o conhece o suficiente”. Em outra importante avaliação os entrevistados escolheram, entre dez, duas opções que representavam questões que deveriam ser tratadas como prioridades pelo próximo presidente. 53% dos entrevistados apontaram a “geração de empregos” como uma das duas maiores prioridades. 38%, “investimento em saúde e educação”. 32%, “combate ao crime organizado e à violência” e 22% escolheram “combate à corrupção”.

A pesquisa está disponível no site do IBOPE [1], tem margem de erro de dois pontos percentuais e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob protocolo número 121972006.

O TSE recebeu pedidos de registro para outras pesquisas. O Instituto Datafollha informou ao TSE que realizará, entre os dias 7 e 8 de agosto, perguntas a 6.960 eleitores referentes à eleição presidencial. O Vox Populi ouvirá eleitores entre os dias 5 e 7 de agosto. E o IBOPE realizará outra pesquisa entre os dias 6 e 10 de agosto.

Fontes