Departamento de Justiça dos EUA acusou funcionários russos de cometer crimes cibernéticos

25 de março de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O Departamento de Justiça dos EUA divulgou na quinta-feira duas acusações contra quatro cidadãos da Federação Russa que trabalhavam para o governo russo. Os suspeitos são acusados ​​de participar de duas conspirações para realizar ataques cibernéticos a empresas internacionais de energia de 2012 a 2018. Isso é afirmado em uma mensagem publicada no site do Federal Bureau of Investigation.

No total, as duas operações de hackers afetaram milhares de computadores em centenas de empresas e organizações em 135 países ao redor do mundo.

Em junho de 2021, a promotoria do Distrito de Columbia apresentou uma acusação contra Yevgeny Gladkikh, funcionário do instituto de pesquisa do Ministério da Defesa da Rússia, por tentar danificar a infraestrutura crítica de um estado estrangeiro, o que levou a duas paralisações de emergência em um instalação hackeada. Gladkikh e seus cúmplices também tentaram invadir a rede interna de uma grande empresa de energia sediada nos EUA.

O Gabinete do Procurador Distrital do Kansas, em agosto de 2021, apresentou acusações semelhantes contra Pavel Akulov e dois de seus cúmplices, Marat Tyukov e Mikhail Gavrilov, membros do Serviço Federal de Segurança da Rússia. Os russos são acusados ​​de conspirar para invadir sistemas de computadores de centenas de empresas e organizações associadas ao setor de energia em todo o mundo. O acesso a tais sistemas daria ao governo russo a oportunidade de interromper os sistemas e prejudicar o setor de energia.

O Departamento de Estado ofereceu uma recompensa de até US$ 10 milhões por informações sobre o paradeiro dos suspeitos.

Fontes