Departamento de História proíbe citação de Wikipédia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de março de 2007

O Departamento de História da universidade Middlebury College informou no mês de fevereiro (02/2007) que está proibido citações da wikipédia como fonte em trabalhos e exames. Os alunos também não podem "culpar a Wikipédia ou qualquer outra fonte similar para escapar das conseqüências de seus erros".

A decisão foi tomada depois que muitos alunos citaram informações erradas em provas de história, que depois os professores descobriram terem vindo da wikipédia. Os professores já haviam percebido que a wikipédia era também citada como fonte de pesquisa nos trabalhos.

Muitos alunos disseram que os professores do colégio permitiam tal prática.

O caso

Os professores já haviam percebido que os alunos usavam a wikipédia como fonte de pesquisa para os trabalhos. Mas um erro cometido por meia dúzia de alunos em uma prova foi a gota d'água.

Durante um exame de História japonesa alguns alunos afirmaram que os jesuítas haviam apoiado a Revolta de Shimabara no Japão do século 17. O professor sabia que a informaçõa era errada, mas por não ser um caso isolado, decidiu verificar de onde a informação tinha saído.

"Os jesuítas não estavam em posição de apoiar uma revolução", disse o professor. Os poucos jesuítas no Japão naquela época estavam em esconderijos.

Ele encontrou a informação na wikipédia, a enciclopédia livre e colaborativa on line, que foi copiada pelos alunos durante os estudos para o exame.

Opiniões

Em Middlesbury, uma discussão sobre uma nova política está agendada para segunda-feira (26/02) com oradores equilibrados para defender e criticar o uso do site em pesquisas.

Don Wyatt, presidente do departamento de História, afirmou que uma proibição total seria impraticável, além de ignorante, pois a Wikipédia é uma ferramenta de fácil acesso aos estudantes.

Jimmy Wales, co-fundador e presidente emérito da Wikipédia, falou sobre a atitude de Middlebury. "Não considero uma medida negativa de maneira alguma", disse. "Basicamente, a faculdade recomenda exatamente o que sugerimos - os alunos não deveriam citar enciclopédias. Espero que não citem a Enciclopédia Britannica também. Se a escola proibisse por completo a leitura da Wikipédia pelos estudantes, eu daria risada. Seria como impedi-los de ouvir rock", completou.

O caso foi destaque em jornais estudantis de diversas universidades. O Middlebury Campus, semanário estudantil da universidade, incluiu um editorial escrito por Chandler Koglmeier, acusando o Departamento de História de "censura".

Outros alunos acreditam que a iniciativa é desnecessária. Keith Williams, aluno do último ano de Economia, disse que os estudantes "entendem que a Wikipédia não é uma fonte confiável e sem verificação completa". Mesmo assim, completou, "recorro à Wikipédia o tempo todo".

Jason Mittell, professor-assistente de Estudos Americanos e Cultura Cinematográfica e Midiática em Middlebury, planeja se juntar ao lado "pró-Wikipédia" do campus. "A mensagem sendo enviada é a de que enxergam a enciclopédia como ameaça ao conhecimento tradicional", disse. "Eu enxergo como uma oportunidade. O que isto significa para a educação tradicional? Tal educação perderá seu valor"?

Outro professor da universidade, Thomas Beyer, do Departamento de Russo, disse: "não fico terrivelmente impressionado por qualquer pessoa que cite uma enciclopédia como fonte de referência, mas não sou contra seu uso".

Fontes