Delegação do senado Tcheco visita Taiwan apesar do protesto da China

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

30 de agosto de 2020

Desafiando a China, uma delegação liderada pelo presidente do Senado tcheco, Miloš Vystrčil, chegou domingo a Taiwan para uma visita de seis dias - o intercâmbio de mais alto nível entre os dois países para cimentar laços econômicos e culturais.

Observadores, com quem VOA falou, observaram que a visita diz muito sobre o fracasso da "diplomacia coercitiva" da China na República Tcheca, embora ainda não se veja se outros países europeus seguirão o exemplo para desencadear um efeito em cadeia.

A República Tcheca adere à política de Uma China, mas mantém laços não oficiais com Taiwan.

“Esta será uma viagem para homenagear o espírito do falecido presidente tcheco Václav Havel”, disse Vystrčil à delegação de 89 membros antes da viagem, segundo o Ministério das Relações Exteriores de Taiwan.

Ex-dramaturgo, Havel foi o primeiro presidente tcheco em 1993. Ele cumpriu anos de prisão por suas opiniões políticas dissidentes que defendiam o ativismo civil, a democracia direta e os direitos humanos - valores que Vystrčil disse que a China não compartilha.

“Minha opinião é que, se nos concentrarmos no dinheiro, perderemos nossos valores e o dinheiro também”, disse Vystrčil, a segunda autoridade mais alta da República Tcheca, repetidamente à mídia para caracterizar a visita da delegação a Taipei.

Após a chegada da delegação, o presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, deu as mais calorosas boas-vindas, dizendo em um post no Facebook que as pessoas em Taiwan “esperam aprofundar a cooperação em todas as áreas” com a delegação tcheca.

Em contraste, a China só tem palavras negativas a dizer sobre a delegação tcheca e sua visita a Taipei.

O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, descreveu a viagem como uma "conduta desprezível".

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com