Cubanos pedem apoio ao Presidente de Cabo Verde

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

20 de julho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Um grupo de cidadãos cubanos residentes em Cabo Verde preocupados com a difícil situação por que passa Cuba, foi na segunda-feira, 19, ao Palácio do Plateau, pedir apoio ao Presidente da República.

Após encontro com Jorge Carlos Fonseca, a porta-voz do grupo, Yanira Monteiro, afirmou que a situação reinante em Cuba é terrível, já que falta quase tudo para o desespero das populações e incapacidade do Governo em dar respostas.

"Não há alimentação, produtos básicos da primeira necessidade, medicamentos e ambulâncias para socorrer os doentes, falta condições nos hospitais e a crise pandemia agrava ainda mais a situação do povo cubano", disse a advogada de profissão.

Sem tecer muitos comentários, o embaixador Fernando Wanhon afirmou que qualquer intervenção sempre é feita na relação entre os Estados, já que os assuntos internos cabem aos respectivos países.

"Uma das questões principais é que os Estados respeitam a soberania dos outros, e as questões internas - é um princípio do direito internacional - devem ser resolvidas sem interferências externas", disse o antigo embaixador cabo-verdiano na ONU.

Por seu lado, o urologista Sidónio Monteiro, formado em Cuba, entende que neste momento difícil os cabo-verdianos devem dar uma mão amiga ao país que muito ajudou o arquipélago em termos de formação de quadros e apoios na área da saúde com envio de técnicos especializados.

Aquele antigo deputado e ministro acrescentou, no entanto, ser necessário acelerar a abertura económica, relançado neste caso a importância de se acabar com o embargo de vários anos, que tem sufocado Cuba.

"Penso que a primeira solução está na eliminação do embargo, porquanto a partir dai já não haverá grandes desculpas internas dos dirigentes", frisou.

Quanto à abertura política, considera que deve ser um processo feito de forma gradual e sólido, para, segundo Monteiro, não se perder grandes ganhos alcançados sobretudo nos domínios da "educação e da saúde".

Cuba enfrentou há cerca de 10 dias manifestações em várias cidades do país, que têm merecido a simpatia de cubanos e pessoas no exterior a favor da democracia, em torno do movimento SOS Cuba.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit