Covid-19: não-vacinados podem chegar a ser até 90% dos novos casos e mortes, apontam dados iniciais

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

26 de novembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Wikinews waves Left.svgExclusivoWikinews waves Right.svg

Na chamada quarta onda de covid-19 na Europa, mas também a “pandemia dos não-vacinados”, dados recentes divulgados nos boletins diários da Romênia mostram que cerca de 88% das novas mortes por covid-19 no país ocorridas de 20 a 26 de novembro foram de pessoas não-vacinadas.

Um dado parecido foi divulgado no final de outubro pelo Instituto Butantan, com base num estudo do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, que apontou que, de 274 óbitos analisados, 258 eram de pessoas não-imunizadas (94%; 237 não tinham tomado nenhuma vacina e 21 tinham apenas uma dose). Além disto, o mesmo Instituto apontou que “nove em cada dez pacientes de covid-19 são pessoas que não completaram o esquema vacinal”, ou seja, 90%.

O caso da Romênia

Segundo os boletins, foram 142 óbitos de não vacinados de um total de 160 hoje (88%), 190 óbitos de um total de 212 no dia 25 (89%), 204 entre 231 no dia 24 (88%), 243 entre 273 fatalidades no dia 23 (89%), 130 entre 154 no dia 22 (84%), 113 de 121 no dia 21 (93%) e 189 de 214 óbitos (88%) no dia 20 – uma Média Aritmética Simples de 88,4% para 7 dias, portanto (acesse todos os boletins aqui).

Alemanha e França registram índices menores

Em seu painel informativo, na tabela Tests positifs chez les vaccinés (acesse aqui), o Ministério da Saúde da França reportou no dia 13 passado que entre os novos casos, 117/milhão eram entre não-vacinados, enquanto entre os vacinados este índice era de 66/milhão - ou seja, de 183/milhão de casos totais, cerca de 2/3 (64%) correspondiam a não-vacinados.

Já o Instituto Robert Koch, órgão oficial da covid na Alemanha, relatou na tabela da página 24 de seu boletim semanal (Wöchentlicher Lagebericht des RKI - acesse aqui) que dos 289.953 novos casos registrados, 139.856 estavam imunizados - ou seja: neste caso há praticamente um equilíbrio de 50%. A tabela também apontou que dos 10.326 casos moderados a graves (necessitaram de internação), 4.590 eram de vacinados - ~56%, portanto, eram de não-vacinados.

Notícias Relacionadas

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit