Covid-19: governo brasileiro anuncia que distribuirá vacinas suficientes para imunizar toda população em 2021

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

11 de março de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O Governo Federal anunciou hoje que distribuirá 414 milhões de doses da vacina contra a covid-19 em 2021.

Isto será suficiente para imunizar cerca de 207 milhões de pessoas com duas doses (as vacinas por ora usadas no Brasil, a Coronavac e a ChAdOx1, necessitam de duas doses para completar o esquema de imunização) até final de janeiro ou meados de fevereiro de 2022 (considerando o período de cerca de 3 semanas entre a aplicação da 1ª e 2ª dose).

Segundo o órgão também, até agora os estados receberam 17 milhões de doses de vacinas covid-19, que estão sendo usadas nos grupos de maior risco para a infecção pelo Sars-Cov-2, como profissionais de saúde (já vacinados em janeiro e fevereiro) e idosos.

Como anda a vacinação nos estados?

Os grupos a serem imunizados vão sendo estendidos conforme novas cargas de vacinas estão sendo entregues aos estados, em planos de vacinação coordenados localmente, respeitando as faixas etárias, dos mais velhos aos mais jovens.

Entre os estados, por região, que mais registraram novos casos nos últimos dias, conforme o painel Localiza SUS, no estado de São Paulo a vacinação para idosos de 72 a 74 anos começou ontem; no RS, a imunização será estendida para o grupo dos que tem entre 77 e 79 anos nos próximos dias; na Bahia, a vacinação também será estendida para os da faixa dos 70 anos nos próximos dias; em Goiás, a maioria das cidades começará a vacinar o grupo acima dos 75 anos.

Bahia não distribuirá novas doses a municípios que vacinam pouco

Segundo a coordenadora de imunização do Estado, Vânia Rebouças, somente os municípios que já utilizaram 85% das doses anteriormente recebidas ganharão novas vacinas. Ela explica que esta decisão foi definida em entre as secretarias estadual e municipais da saúde. “Metade das doses que seriam enviadas para os municípios que não cumpriram a meta serão redistribuídas para aqueles que já tiverem utilizado mais de 90%. (...) Esta estratégia não foi uma imposição da Sesab e sim uma deliberação feita de forma conjunta com os municípios”, afirmou.

Já o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, fez um apelo para que os municípios, ao receberem as doses, as utilizem em 48 horas. “Quanto mais rápido a gente vacinar, menos pessoas vão contrair a doença e menor será o número daquelas que vão precisar de leitos de UTI”, enfatizou.

Notícia Relacionada

Fontes