Covid-19: em pior cenário da pandemia, Rússia fecha semana com novos recordes de mortes

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

10 de outubro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A Rússia vive o pior cenário desde o início da pandemia de covid-19 e reportou ontem um número inédito de novas mortes por Sars-Cov-2 em 24 horas: 968.

O Johns Hopkins Center for Health Securit já havia alertado na semana passada para a gravidade da situação, sendo que no dia 28/09 o país havia registrado um recorde de 852 fatalidades. No entanto, deste dia em diante, os números só cresceram.

No seu último boletim periódico, emitido no dia 08 passado, o Center reportou que, desde meados de setembro, os óbitos na Rússia cresceram 15% e que ainda continuam subindo.

O país tinha alcançado um platô de cerca de 800 óbitos por dia em julho (veja aqui), mas segundo o Worldometer, a média móvel de mortes atualmente é de 943 (média dos últimos 3 dias). Em relação a pior média móvel durante a primeira onda, entre dezembro e janeiro passado, a pior média subiu de 598 para 943, ou seja, um incremento de cerca de 35%.

Segundo o Worldometer também, o país tem hoje 216.415 mortes e 7.775,365 de casos acumulados de covid-19.

Vacinação estagnada

No boletim da semana passada, o Center ainda chamava a atenção para a queda na cobertura vacinal, já que apenas 30% dos russos estavam totalmente imunizados contra o Sars-Cov-2 “As vacinações diárias têm diminuído desde julho passado”, alertaram os estudiosos da Johns Hopkins.

Hoje, em dados do Our World In Data, a vacinação alcança 31% com a imunização completa e outros 3% a mais com apenas uma dose de uma vacina - a pior cifra entre os cinco países com mais casos de covid no mundo.

Notícias Relacionadas

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit