Covid-19: cinco meses depois de iniciar a vacinação, Brasil imunizou completamente apenas 23,8 milhões de pessoas; para controlar pandemia, quer imunizar 160 milhões

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

17 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Com uma população vacinável de 160 milhões de pessoas, o Brasil imunizou completamente, com duas doses de uma vacina contra covid-19, apenas 23.864.423 de pessoas até ontem, conforme informações do Ministério da Saúde no painel Covid-19 Vacinação - Doses Aplicadas do Localiza SUS. A quantidade de pessoas que recebeu apenas a primeira dose é de 57.676.179.

"O Ministério da Saúde já distribuiu mais de 110 milhões de doses de vacinas Covid-19 para todo o Brasil. Mais de 80 milhões já foram aplicadas", anunciou o órgão ontem.

Já os dados divulgados pelo Consórcio dos Veículos de Imprensa, que faz sua própria contagem de vacinas aplicadas, bem como de casos e óbitos por covid, são um pouco melhores: o total de pessoas que recebeu as duas doses é de 24.136.412 e o de pessoas que recebeu apenas uma, de 58.351.653.

Vacinas em uso no Brasil

Atualmente, há quatro vacinas em uso emergencial no Brasil - o primeiro lote da Jannsen, de 3 milhões de doses, deve chegar nos próximos dias.

Vacina Esquema vacinal Doses distribuídas
Oxford-AstraZeneca 2 doses, com intervalo de 12 semanas 56,30 milhões
CoronaVac 2 doses, com intervalo de 2-4 semanas 48,25 milhões
Prizer 2 doses, com intervalo de 8-12 semanas 5,91 milhões
Jannsen Dose única

Imunidade de grupo

A chamada imunidade de grupo, coletiva ou de rebanho, quando boa parte da população desenvolveu anticorpos contra um vírus por seus membros terem desenvolvido a doença ou terem se vacinado, precisa alcançar, no caso da covid-19, entre 70 e 80%, apontam especialistas. No Brasil, considerando o total de pessoas completamente imunizadas, ela atualmente está em torno de apenas 12% (23 milhões de pessoas imunizadas de uma população total de 213 milhões), o que significa que o país está longe de alcançar o controle da pandemia usando esta estratégia, fazendo com que medidas como o uso de máscaras, o distanciamento social e a higienização das mãos continuem sendo necessárias.

Em comparação, por exemplo, Israel já imunizou completamente, 59% de sua população; Bahrain, 51%; Chile, 48%; Estados Unidos, 44%; Uruguai, 37% e Argentina, como o Brasil, 12% (consulte a lista aqui).

"Qualquer epidemia viral, em geral, a gente precisa de uma produção de imunidade de rebanho. Um dos aprendizados é que essa imunidade não viria de forma natural, uma vez que a reinfecção é muito grande. A gente só vai reduzir [os números da pandemia] com vacinação em massa, 70% da população com as duas doses", apontou o presidente da Sociedade Riograndense de Infectologia, Alexandre Vargas Schwarzbold, ontem durante um debate virtual promovido pela RBS TV.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit